terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Destralhe-se


(por Carlos Solano)

"-Bom dia, como tá a alegria"? Diz dona Francisca, minha faxineira rezadeira, que acaba de chegar.
"-Antes de dar uma benzida na casa, deixa eu te dar um abraço que preste!" e ela me apertou.
Na matemática de dona Francisca, "quatro abraços por dia dão para sobreviver; oito ajudam a nos manter vivos; 12 fazem a vida prosperar".
Falando nisso, "vida nenhuma prospera se estiver pesada e intoxicada". Já ouviu falar em toxinas da casa?
Pois são:
- objetos que você não usa,
- roupas que você não gosta ou não usa há um ano,
- coisas feias,
- coisas quebradas, lascadas ou rachadas,
- velhas cartas, bilhetes,
- plantas mortas ou doentes,
- recibos/jornais/revist as, antigos,
- remédios vencidos,
- meias velhas, furadas,
- sapatos estragados...

Ufa, que peso! "O que está fora está dentro e isso afeta a saúde", aprendi com dona Francisca. "Saúde é o que interessa. O resto não tem pressa!", ela diz, enquanto me ajuda a 'destralhar', ou liberar as tralhas da casa...
O 'destralhamento' é a forma mais rápidas de transformar a vida e ajuda as outras eventuais terapias. Com o destralhamento:
- A saúde melhora;
- A criatividade cresce;
- Os relacionamentos se aprimoram...

É comum se sentir cansado, deprimido, desanimado, em um ambiente cheio de entulho, pois "existem fios invisíveis que nos ligam à tudo aquilo que possuímos".
Outros possíveis efeitos do "acúmulo e da bagunça":
- sentir-se desorganizado;
- fracassado;
- limitado;
- aumento de peso;
- apegado ao passado...

No porão e no sótão, as tralhas viram sobrecarga; Na entrada, restringem o fluxo da vida; Empilhadas no chão, nos puxam para baixo; Acima de nós, são dores de cabeça;
"Sob a cama, poluem o sono".
"Oito horas, para trabalhar; Oito horas, para descansar; Oito horas, para se cuidar."

Perguntinhas úteis na hora de destralhar-se:
- Por que estou guardando isso?
- Será que tem a ver comigo hoje?
- O que vou sentir ao liberar isto?

...e vá fazendo pilhas separadas...
- Para doar!
- Para jogar fora!

Para destralhar mais:
- livre-se de barulhos,
- das luzes fortes,
- das cores berrantes,
- dos odores químicos,
- dos revestimentos sintéticos...

e também...
- libere mágoas,
- pare de fumar,
- diminua o uso da carne,
- termine projetos inacabados.

"Se deixas sair o que está em ti, o que deixas sair te salvará.. Se não deixas sair o que está em ti, o que não deixas sair te destruirá", Arremata o mestre Jesus, no evangelho de Tomé.
"Acumular nos dá a sensação de permanência, apesar de a vida ser impermanente", diz a sabedoria oriental. O Ocidente resiste a essa idéia e, assim, perde contato com o sagrado instante presente.

Dona Francisca me conta que "as frutas nascem azedas e no pé, vão ficando docinhas com o tempo". A gente deveria de ser assim, ela diz: "Destralhar ajuda a adocicar."

Se os sábios concordam, quem sou eu para discordar.
“Dê a quem você ama: asas para voar, raízes para voltar e motivos para ficar ”



segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Conte estrelas


A vida muitas vezes nos apresenta momentos realmente difíceis.

Coisas que jamais esperávamos, acontece conosco.

Situações aparentemente impossíveis de solução, erguem-se a nossa frente como uma montanha.

O dia-dia parece um peso difícil de carregar.

Nessas horas há apenas dois caminhos a seguir:

Se acomodar e afundar na areia movediça dos problemas, ou levantar a cabeça e tirar proveito da luta. Certamente a segunda opção é a melhor.

Certo autor escreveu que todo o problema tem as sementes da solução.

Então, se você enfrenta momentos de escuridão, lembre-se que as estrelas continuam brilhando no céu.

Não desista, mas persevere até que a vitória aconteça.

Encontrei uma frase que confirma esta atitude de lutador em frente às dificuldades:

" É mais alegre contarmos as estrelas do que as pedras do caminho".

Tenha uma atitude de fé em Deus e esperança, capaz de vencer qualquer dificuldade.

Conte as estrelas, conte as bênçãos, perceba que em você mesmo,

há força extra dada por Deus, para erguê-lo e transformá-lo num verdadeiro vencedor.

Pr. Edilson Ramos



domingo, 29 de janeiro de 2012

A Escola dos Bichos



http://refletiresentir.blogspot.com/2012/01/escola-dos-bichos.html
"Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros. De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada,..." Romanos 12.4-6



Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Para isso reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas.

O Pássaro insistiu para que houvesse aulas de vôo.

O Esquilo achou que a subida perpendicular em árvores era fundamental.

E o Coelho queria de qualquer jeito que a corrida fosse incluída.

E assim foi feito, incluíram tudo, mas... cometeram um grande erro.

Insistiram para que todos os bichos praticassem todos os cursos oferecidos.

O Coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele.

Mas queriam ensiná-lo a voar.

Colocaram-no numa árvore e disseram:

"Voa, Coelho".

Ele saltou lá de cima e "pluft"... coitadinho! Quebrou as pernas.

O Coelho não aprendeu a voar e acabou sem poder correr também.

O Pássaro voava como nenhum outro, mas o obrigaram a cavar buracos como uma topeira.

Quebrou o bico e as asas, e depois não conseguia voar tão bem, e nem mais cavar buracos.

SABE DE UMA COISA?

Todos nós somos diferentes uns dos outros e cada um tem uma ou mais qualidades próprias dadas por DEUS.

Não podemos exigir ou forçar para que as outras pessoas sejam parecidas conosco ou tenham nossas qualidades.

Se assim agirmos, acabaremos fazendo com que elas sofram, e no final, elas poderão não ser o que queríamos que fossem e ainda pior, elas poderão não mais fazer o que faziam bem feito.

RESPEITAR AS DIFERENÇAS É AMAR AS PESSOAS COMO ELAS SÃO.

Rosana Rizzuti



sábado, 28 de janeiro de 2012

Deus nos ouve e nos responde


"Inclina SENHOR os teus ouvido se ouve-me porque estou necessitado e aflito." Salmo 86.1

Dizem que de tanto chorar as lágrimas secam e de tanto gritar a voz desaparece.

Quando nem o choro nem o grito são mais notados como chorar?

Como gritar?

O rosto assume aquele ar impassível de túmulo.

Só falta a lápide?

Aqui jaz o desespero.

O salmista porém continua clamando.

Pode ser que sua voz esteja um tanto gasta e suas lágrimas comecem a rarear.

Mas ele clama.

Alguém ouve a sua voz.

Alguém lhe responde.

Alguém mostra por ele atenção e solidariedade.

Alguém lhe dá o abraço da proteção e do conforto.

Em nossa angústia clamamos.

E são tantos os momentos de angústia.

Tragédias que observadas nos outros não são tão grandes: rompimento com a pessoa amada, perda do emprego fim de um sonho qualquer.

Mas para nós é o fim do mundo nos atiram no desepero e na inércia total.

E o que dizer das tragédias que mesmo para os observadores mais frios e objetivos são consideradas terríveis: desemprego crônico, um casamento desfeito e vários filhos para cuidar incapacidade para o trabalho, doenças que não curam, morte prematura o que fazer?

Como enfrentar tanta angústia se não tivermos alguém a nos ouvir com os ouvidos mais abertos do mundo?

Como superar tanto sofrimento se não tivermos a certeza absoluta de que um DEUS cheio de Amor vai nos responder?

E este DEUS está ao nosso lado à nossa disposição.

E ELE faz até mais do que simplesmente nos responder: ELE nos chama nos convida e nos encoraja a clamar por ELE.

Não há por que secarem as lágrimas nem emudecer a voz.

DEUS nos ouve e nos responde.

Sempre...



sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Braille


"E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." Romanos 8.28

Um dia, um menino de 3 anos estava na oficina do pai, vendo-o fazer arreios e selas.

Quando crescesse, queria ser igual ao pai.

Tentando imitá-lo, tomou um instrumento pontudo e começou a bater numa tira de couro.

O instrumento escapou da pequena mão, atingindo-lhe o olho esquerdo.

Logo mais, uma infecção atingiu o olho direito e o menino ficou totalmente cego.

Com o passar do tempo, embora se esforçasse para se lembrar, as imagens foram gradualmente desaparecendo e ele não se lembrava mais das cores.

Aprendeu a ajudar o pai na oficina, trazendo ferramentas e peças de couro.

Ia para a escola e todos se admiravam da sua memória.

De verdade, ele não estava feliz com seus estudos.

Queria ler livros. Escrever cartas, como os seus colegas.

Um dia, ouviu falar de uma escola para cegos.

Aos dez anos, Louis chegou a Paris, levado pelo pai e se matriculou no instituto nacional para crianças cegas. Ali havia livros com letras grandes em relevo.

Os estudantes sentiam, pelo tato, as formas das letras e aprendiam as palavras e frases.

Logo o jovem Louis descobriu que era um método limitado.

As letras eram muito grandes.

Uma história curta enchia muitas páginas.

O processo de leitura era muito demorado.

A impressão de tais volumes era muito cara.

Em pouco tempo o menino tinha lido tudo que havia na biblioteca.

Queria mais. Como adorava música, tornou-se estudante de piano e violoncelo.

O amor à música aguçou seu desejo pela leitura.

Queria ler também notas musicais. Passava noites acordado, pensando em como resolver o problema.

Ouviu falar de um capitão do exército que tinha desenvolvido um método para ler mensagens no escuro.

A escrita noturna consistia em conjuntos de pontos e traços em relevo no papel.

Os soldados podiam, correndo os dedos sobre os códigos, ler sem precisar de luz.

Ora, se os soldados podiam, os cegos também podiam, pensou o garoto.

Procurou o capitão Barbier que lhe mostrou como funcionava o método.

Fez uma série de furinhos numa folha de papel, com um furador muito semelhante ao que cegara o pequeno. Noite após noite e dia após dia, Louis trabalhou no sistema de Barbier, fazendo adaptações e aperfeiçoando-o.

Suportou muita resistência. Os donos do instituto tinham gasto uma fortuna na impressão dos livros com as letras em relevo. Não queriam que tudo fosse por água abaixo.

Com persistência, Louis Braille foi mostrando seu método.

Os meninos do instituto se interessavam.

À noite, às escondidas, iam ao seu quarto, para aprender.

Finalmente, aos 20 anos de idade, Louis chegou a um alfabeto legível com combinações variadas de um a seis pontos.

O método Braille estava pronto.

O sistema permitia também ler e escrever música.

A idéia acabou por encontrar aceitação.

Semanas antes de morrer, no leito do hospital, Louis disse a um amigo:

"Tenho certeza de que minha missão na Terra terminou."

Dois dias depois de completar 43 anos, Louis Braille faleceu.

Nos anos seguintes à sua morte, o método se espalhou por vários países.

Finalmente, foi aceito como o método oficial de leitura e escrita para aqueles que não enxergam.

Assim, os livros puderam fazer parte da vida dos cegos.

Tudo graças a um menino imerso em trevas, que dedicou sua vida a fazer luz para enriquecer a sua e a vida de todos os que se encontram privados da visão física.

Há quem use suas limitações como desculpa para não agir nem produzir.

No entanto, como tudo deve nos trazer aprendizado, a sabedoria está, justamente, em superar as piores condições e realizar o melhor para si e para os outros.


quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Você colhe o que você planta


"Ora aquele que dá a semente ao que semeia também vos dê pão para comer e multiplique a vossa sementeira e aumente os frutos da vossa justiça" II Corintios 9.10

Certa manhã uma mulher bem-vestida parou em frente de um homem sem teto que olhou para cima lentamente ... e reparou que a mulher que parecia acostumada com as coisas boas da vida. O casaco era novo. Parecia que ela nunca tinha perdido uma refeição em sua vida.
Seu primeiro pensamento foi: "Só quer tirar sarro de mim como tantos outros fizeram ....” Por favor Deixe-me sozinho!” Resmungou o homem... Para sua surpresa a mulher continuou de pé. Ela estava sorrindo seus dentes brancos exibidos em linhas deslumbrantes.

"Você está com fome?"perguntou ela.

"Não" respondeu sarcasticamente. "Acabei de voltar do jantar com o presidente... Agora vá embora."

O sorriso da mulher se tornou ainda mais amplo. De repente o homem sentiu uma mão suave debaixo do braço.

"O que você está fazendo senhora?"Perguntou o homem irritado. "Disse para deixar-me sozinho!"

Neste momento um policial chegou.

"Existe algum problema senhora?" Perguntou ele...

"Não tem problema aqui Policial”a mulher disse... "Eu só estou tentando ajudá-lo a ficar de pé ...Pode me ajudar?”

O policial coçou a cabeça. "Sim o velho João é um estorvo por aqui há anos. O que você quer com ele?" Perguntou o policial...

"Vê o restaurante ali?"Perguntou ela. "Eu vou dar-lhe algo para comer e tirá-lo do frio por um tempo."

"Você senhora está louca?" O homem sem-teto resistiu. "Eu não quero ir para lá!” Então sentiu mãos fortes segurando braços e levantá-lo. "Deixe-me ir eu não fiz nada oficial ..."

"Não vê esta é uma boa oportunidade para você"o oficial sussurrou em seu ouvido.



Finalmente e com alguma dificuldade a mulher e o oficial levam João para o restaurante e o sentam em uma mesa em um canto do refeitório. Era quase quatorze horas a maioria das pessoas já tinha comido o almoço e para jantar o grupo ainda não tinha chegado
O gerente do restaurante veio a eles e perguntou.

"O que está acontecendo aqui oficial? O que é isso? E este homem está em apuros?"

"Esta senhora trouxe-o aqui para comer alguma coisa" respondeu o oficial.

"Oh! não não aqui!" o gerente respondeu com raiva. "Ter uma pessoa como essa aqui é ruim para os negócios!”

O velho João sorriu com poucos dentes.

"Senhora eu lhe disse. Agora você vai me deixar ir? Eu não queria vir aqui desde o início."

A mulher foi até o gerente de lanchonete e sorriu ...

"O senhor está familiarizado com Harris & Associates?empresa que fica a duas ruas daqui?"

"Claro que eu sei"respondeu o gerente impaciente. "Eles fazem as suas reuniões semanais aqui e jantam no meu restaurante".

"E você ganha um monte de dinheiro fornecendo alimentos para essas reuniões semanais?" Perguntou a Sra...

"E o que importa para você?” perguntou o gerente impaciente.

“Eu senhor sou Penelope Hernandez presidente e proprietária da empresa." disse ela.

"Oh desculpe!” disse o gerente...

A mulher sorriu de novo... "Eu pensei que isso poderia fazer a diferença no seu tratamento." Ela disse ao policial que se esforçou para conter uma risada. "Gostaria de fazer-nos uma xicara de café ou talvez uma refeição policial?"

"Não obrigado senhora" respondeu esse. "Estou de plantão".

"Então talvez uma xicara de café para ir?" disse ela.

"Sim senhora. Isso seria melhor." respondeu o policial.

O gerente do restaurante virou nos calcanhares como se recebesse uma ordem.

"Vou trazer o café para o policial imediatamente Senhora"

O policial observou-a de pé. E falou:

"Certamente colocou no lugar"disse ele.

"Essa não foi minha intenção"disse a Sra. “...Acredite ou não eu tenho uma boa razão para tudo isso." Ela se sentou na mesa em frente ao seu convidado para jantar. Ela olhou para ele ... "João você se lembra de mim?"

O velho João olhou para seu rosto com seus olhos remelentos "Eu acho que sim quero dizer acho que é familiar."

"Olha João talvez eu seja um pouco maior mas olha-me bem" disse a Sra. "Talvez eu esteja mais gordinha agora ... mas quando trabalhava aqui há muitos anos atrás eu vim aqui uma vez e por esta mesma porta entrei morrendo de fome e frio." Algumas lágrimas caíram por suas bochechas ...

"Senhora?" disse o policial eu não podia acreditar no que estava presenciando mesmo pensando que como uma mulher como esta poderia ter passado fome.

"Eu tinha acabado de se formar na faculdade em minha cidade natal"disse a mulher... "e vim para a cidade à procura de um emprego mas não consegui encontrar nada...” Com a voz quebrantada a mulher continuou: “Quando eu tinha meus últimos centavos e entreguei meu apartamento andava pelas ruas sem ter onde morar e foi em julho estava frio e quase morrendo de fome quando vi este lugar e entrei pensando numa pequena chance para conseguir algo para comer”. Com lágrimas nos olhos a mulher continuou falando ...“João me recebeu com um sorriso. "

“Agora eu me lembro"disse João. "Eu estava atrás do balcão de serviço. Ela se aproximou e perguntou se poderia trabalhar para comer alguma coisa."

"Você me disse que era contra a política da empresa." A mulher continuou... Então você me fez o maior sanduíche de rosbife que já vi... deu-me uma xícara de café e fui para um canto para apreciar a minha refeição. Eu estava com medo que você se metesse em encrencas. Então eu olhei e vi você colocar o valor dos alimentos no caixa. Eu sabia que tudo ficaria bem. "

"Então você começou seu próprio negócio?" O velho disse João.

"Sim encontrei um trabalho naquela mesma tarde. Eu trabalhei muito duro e eu subi com a ajuda do meu Deus. Tempos depois eu comecei meu próprio negócio e com Deus ele prosperou .." Ela abriu sua bolsa e tirou um cartão. "Quando terminar aqui eu quero que você faça uma visita ao Sr. Martinez. Ele é o diretor de pessoal da minha empresa e vai encontrar algo para você fazer nela.” Ela sorriu. "Eu poderia até adiantar-lhe algo o suficiente para que você possa comprar algumas roupas e arrumar um lugar para viver até se recuperar. Se você precisar de alguma coisa minha porta está sempre aberta para você João."

Havia lágrimas nos olhos do idoso. "Como eu posso agradece-la” ele perguntou.

"Não me agradeça" ela respondeu. "A Deus da-lhe glória. Ele me trouxe para você."

Fora do restauranteo policial e a mulher pararam e antes de ir embora ela disse: "Obrigado por toda sua ajuda!”.

Em vez disso o oficial disse: "Obrigado eu que vi um milagre hoje algo que eu nunca vou esquecer. E .... E obrigado pelo café. "....

Que Deus te abençoe sempre e não se esqueça que quando jogamos pão sobre as águas você nunca sabe quando ele será devolvido para você...

Deus é tão grande que pode cobrir o mundo com amor e tão pequeno para entrar em seu coração.

Quando Deus te leva à beira do precipício confie nele completamente e deixe-se levar.

Apenas uma outra coisa vai acontecer ou ele segura quando você cairou vai te ensinar a voar!

Quando Deus fecha portas ninguém pode abrir e quando Deus abre portas ninguém pode fechar...

E lembre-se de ser uma bênção para os outros



quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Atravesse o deserto


Ai está a diferença entre passar pelo deserto e o permanecer nele.
Os que resistem os que persistem racionam a água caminham
um pouco mais dão um passo além das forças.
Os que desanimam bebem toda a água do cantil esperam pelo
milagre que não virá pois todo milagre
é fruto de uma ação positiva.
Se hoje você está atravessando o seu deserto seja ele o
mais seco do mundo não importa em algum canto dele
você encontrará um oásis.
Na nossa vida oásis são os amigos que não nos abandonam
são aquelas pessoas desconhecidas que se preocupam com o próximo é a fé que
todos nós temos e renova a esperança.
Mantenha a racionalidade e uma certeza: você vai
atravessá-lo!
Não desista de nada não desista de você!
A poeira vai abaixar a tempestade vai passar e depois de
tudo o sol vai brilhar por você.
A esperança é essa brisa que sopra seus cabelos e a força
que nos empurra para a vitória é o amor de Deus que nunca nos
abandona.

Eu
acredito em você

Paulo Roberto Gaefke


terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Amor, a força criadora


Um professor de Sociologia mandou seus alunos aos bairros pobres da cidade de Baltimore, Estados Unidos, para realizar estudos de casos individuais de 200 garotos, fazendo uma avaliação do futuro de cada um deles.
Em todos os casos os estudantes fizeram a seguinte avaliação: "Ele não tem a menor chance".
Passados 25 anos, outro professor de Sociologia dedicou-se ao estudo realizado. Pediu que seus alunos efetuassem novos estudos para verificar o que havia acontecido com aqueles garotos pobres.
Os estudantes descobriram então que, com exceção de 20 meninos, que haviam se mudado ou morrido, 176 entre os 180 restantes, tinham alcançado sucesso fora do comum como advogados, médicos e homens de negócios.
O professor ficou surpreso e decidiu ir mais além na pesquisa.
Felizmente todos os garotos, que agora já eram homens, moravam na cidade. Assim, ele teve condições de perguntar a cada um deles, a que atribuía o seu sucesso.
Em cada caso a resposta era sempre a mesma: “Houve uma professora...” e a resposta era acompanhada de um sincero sentimento de gratidão.
Como a professora ainda estava viva, resolveu procurá-la e perguntar que fórmula mágica ela havia usado para impulsionar aqueles garotos à conquista das profissões que tanto almejavam, superando os obstáculos impostos pela condição social.
A idosa, mas ainda lúcida senhora, com brilho nos olhos e nos lábios um sorriso gentil, respondeu: "É realmente muito simples. Eu amava aqueles garotos”.
Como se pode perceber, não há barreiras capazes de deter a força do amor verdadeiro.
O amor é de essência divina, é força criadora.
Onde quer que esse sentimento sublime se faça presente espalha luz e bênçãos renovadoras.
Quando o amor se manifesta, dissemina luz onde as trevas teimam em permanecer.
Quem ama vence as dificuldades e supera os próprios limites, contagiando com a sua ação tantos quantos dele se acerquem.
Em nome do amor, Jesus suportou a cruz infamante para legar à Humanidade sua inconfundível Doutrina.
Contagiados pelo Seu amor, os cristãos primitivos desceram às arenas, sacrificando as próprias vidas para não abjurar o Sublime Amigo.
Foi por amor que muitos Apóstolos enfrentaram a fúria dos homens com bravura e coragem, para levar a Boa Nova aos corações sedentos de paz.
Em nome do amor, muitos anônimos, como a professora de Baltimore, se entregam aos semelhantes, fomentando a esperança e demonstrando pelos próprios atos, que vale a pena investir na vida e sobretudo, no amor.
* * *
Em nome do amor fraternal, Madre Tereza superou obstáculos tidos como intransponíveis, para ajudar os irmãos de Calcutá, e fez-se respeitada no mundo inteiro. São dela estas palavras:
"Espalhe amor aonde quer que você vá: primeiro, em sua própria casa. Dê amor a seus filhos, sua esposa ou marido, para seu vizinho de porta.
Não deixe ninguém vir a você sem partir melhor ou mais feliz.
Seja a expressão viva da bondade de Deus: bondade em sua face, bondade em seus olhos, bondade em seu sorriso, bondade em seu caloroso cumprimento.”




Redação do Momento Espírita com base em textos esparsos


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O menino e o Avô


O menino observava seu avô escrevendo em um caderno, e perguntou:

- Vovô, você está escrevendo algo sobre mim?

O avô sorriu, e disse ao netinho:

- Sim, estou escrevendo algo sobre você.

Entretanto, mais importante do que as palavras que estou escrevendo, é este lápis que estou usando.

Espero que você seja como ele, quando crescer.

O menino olhou para o lápis, e não vendo nada de especial, intrigado, comentou:

- Mas este lápis é igual a todos os que já vi.

O que ele tem de tão especial?

- Bem, depende do modo como você olha.

Há cinco qualidades nele que, se você conseguir vivê-las, será uma pessoa de bem e em paz com o mundo - respondeu o avô.



- Primeira qualidade: Assim como o lápis, você pode fazer coisas grandiosas, mas nunca se esqueça que existe uma "mão" que guia os seus passos, e que sem ela o lápis não tem qualquer utilidade: a mão de Deus.



- Segunda qualidade: Assim como o lápis, de vez em quando você vai ter que parar o que está escrevendo, e usar um "apontador". Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas ao final, ele se torna mais afiado. Portanto, saiba suportar as adversidades da vida, porque elas farão de você uma pessoa mais forte e melhor.



- Terceira qualidade: Assim como o lápis, permita que se apague o que está errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos trazer de volta ao caminho certo.



- Quarta qualidade: Assim como no lápis, o que realmente importa não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro dele.

Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você. O seu caráter será sempre mais importante que a sua aparência.



- Finalmente, a quinta qualidade do lápis: Ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida deixará traços e marcas nas vidas das pessoas, portanto, procure ser consciente de cada ação, deixe um legado, e marque positivamente a vida das pessoas.




domingo, 22 de janeiro de 2012

A borboleta azul


Havia um viúvo que morava com suas duas filhas curiosas e inteligentes.

As meninas sempre faziam muitas perguntas.

Algumas ele sabia responder, outras não.

Como pretendia oferecer a elas a melhor educação,

mandou as meninas passarem férias com um sábio

que morava no alto de uma colina.

O sábio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar.

Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta

que ele não saberia responder.

Então, uma delas apareceu com uma borboleta azul

que usaria pra pegar uma peça no sábio.

- O que você vai fazer? - perguntou a irmã

- Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar

se ela está viva ou morta.

Se ele disser que está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar.

Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e esmagá-la.

E assim qualquer resposta que o sábio nos der está errada!

As duas meninas foram, então, ao encontro do sábio, que estava meditando.

- Tenho aqui uma borboleta azul.

Diga-me sábio, ela está viva ou morta?

Calmamente o sábio sorriu e respondeu:

- Depende de você. Ela está em suas mãos.

Assim é a nossa vida, o nosso presente e o nosso futuro.

Não devemos culpar ninguém quando algo dá errado.

Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos (ou não).


Nossa vida está em nossas mãos, assim como a borboleta azul.

Cabe a nós escolher o que fazer com ela.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Seu cavalo pode voar


"Não temas, crê somente" (Marcos 5:36)

Um poderoso rei condenou um humilde súdito à morte.
O homem, prestes a ser executado, propôs e teve a concordância do rei, permiti-lo ensinar o cavalo real a voar.

Caso não conseguisse, no prazo de um ano, então sua sentença Seria cumprida. "Por que adiar o inevitável?" perguntou-lhe um amigo. "Não é inevitável," ele respondeu, "as chances são Quatro a um a meu favor. Dentro de um ano:

O rei pode perder o trono.

Eu posso Fugir.

O Cavalo pode fugir.

Eu posso ensinar o cavalo a voar.

Freqüentemente nos vemos diante de obstáculos difíceis e aparentemente impossíveis de transpor.

Por mais que busquemos soluções, elas parecem não existir. o primeiro impulso nos convida a desistir, mas é preciso que jamais esqueçamos que para o nosso amado Deus todas as coisas são possíveis.

Há alguns séculos atrás, costumava-se dizer que o homem jamais poderia voar.

"Se Deus quisesse que o homem voasse, teria lhe dado asas."

Porém, hoje, em poucas horas o homem atravessa um oceano e vai para outro continente!

Assim como o súdito de nossa estória, aprendamos a olhar a situação com otimismo. Para cada possibilidade adversa, muitas favoráveis poderão ser encontradas, e, com muita fé e determinação, o que parecia impossível logo será realidade.

Não esmoreça nunca. Mesmo que tudo indique o contrário, creia: o seu cavalo pode voar!



sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Parábola da Vaca


Era uma vez, um sábio chinês e seu discípulo. Em suas andanças, avistaram um casebre de extrema pobreza onde vivia um homem, uma mulher, 3 filhos pequenos e uma vaquinha magra e cansada.
Com fome e sede o sábio e o discípulo pediram abrigo e foram recebidos. O sábio perguntou como conseguiam sobreviver na pobreza e longe de tudo.
- O senhor vê aquela vaca ? - disse o homem. Dela tiramos todo o sustento. Ela nos dá leite que bebemos e transformamos em queijo e coalhada. Quando sobra, vamos à cidade e trocamos por outros alimentos. É assim que vivemos.
O sábio agradeceu e partiu com o discípulo. Nem bem fizeram a primeira curva, disse ao discípulo :
- Volte lá, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali em frente e atire-a lá em baixo.
o discípulo não acreditou.
- Não posso fazer isso, mestre ! Como pode ser tão ingrato ? A vaquinha é tudo o que eles têm. Se a vaca morrer, eles morrem !
O sábio, como convém aos sábios chineses, apenas respirou fundo e repetiu a ordem :
- Vá lá e empurre a vaquinha.
Indignado porém resignado, o discípulo assim fez. A vaca, previsivelmente, estatelou-se lá embaixo.
Alguns anos se passaram e o discípulo sempre com remorso. Num certo dia, moído pela culpa, abandonou o sábio e decidiu voltar àquele lugar. Queria ajudar a família, pedir desculpas.
ao fazer a curva da estrada, não acreditou no que seus olhos viram. No lugar do casebre desmazelado havia um sítio maravilhoso, com árvores, piscina, carro importando, antena parabólica. Perto da churrasqueira, adolescentes, lindos, robustos comemorando com os pais a conquista do primeiro milhão. O coração do discípulo gelou. Decerto, vencidos pela fome, foram obrigados a vender o terreno e ir embora.
Devem estar mendigando na rua, pensou o discípulo.
Aproximou-se do caseiro e perguntou se ele sabia o paradeiro da família que havia morado lá
- Claro que sei. Você está olhando para ela.
Incrédulo, o discípulo afastou o portão, deu alguns passos e reconheceu o mesmo homem de antes, só que mais forte, altivo, a mulher mais feliz e as crianças, jovens saudáveis. Espantado, dirigiu-se ao homem e disse :
- Mas o que aconteceu ? Estive aqui com meu mestre alguns anos atrás e era um lugar miserável, não havia nada. O que o senhor fez para melhorar de vida em tão pouco tempo ?
O homem olhou para o discípulo, sorriu e respondeu :
- Nós tínhamos uma vaquinha, de onde tirávamos o nosso sustento. Era tudo o que possuíamos, mas um dia ela caiu no precipício e morreu. Para sobreviver, tivemos que fazer outras coisas, desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos. E foi assim, buscando novas soluções, que hoje estamos muito melhor que antes.
Moral da história : às vezes é preciso perder para ganhar mais adiante. É com a adversidade que exercitamos nossa criatividade e criamos soluções para os problemas da vida. Muitas vezes é preciso sair da acomodação, criar novas idéias e trabalhar com amor e determinação


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Assembléia na carpintaria


Contam que na carpintaria houve uma vez uma estranha assembléia.

Foi uma reunião de ferramentas para acertar suas diferenças.

Um martelo exerceu a presidência, mas os participantes lhe notificaram que teria que renunciar.
A causa?

Fazia demasiado barulho; e além do mais, passava todo o tempo golpeando.

O martelo aceitou sua culpa, mas pediu que também fosse expulso o parafuso, dizendo que ele dava muitas voltas para conseguir algo.

Diante do ataque, o parafuso concordou, mas por sua vez, pediu a expulsão da lixa. Dizia que ela era muito áspera no tratamento com os demais, entrando sempre em atritos.

A lixa acatou, com a condição de que se expulsasse o metro que sempre media os outros segundo a sua medida, como se fora o único perfeito.

Nesse momento entrou o carpinteiro, juntou o material e iniciou o seu trabalho. Utilizou o martelo, a lixa, o metro e o parafuso.

Finalmente, a rústica madeira se converteu num fino móvel.

Quando a carpintaria ficou novamente só, a assembléia reativou a discussão.

Foi então que o serrote tomou a palavra e disse:

"Senhores, ficou demonstrado que temos defeitos, mas o carpinteiro trabalha com nossas qualidades, com nossos pontos valiosos. Assim, não pensemos em nossos pontos fracos, e concentremo-nos em nossos pontos fortes."

A assembléia entendeu que o martelo era forte, o parafuso unia e dava força, a lixa era especial para limar e afinar asperezas, e o metro era preciso e exato.

Sentiram-se então como uma equipe capaz de produzir móveis de qualidade.

Sentiram alegria pela oportunidade de trabalhar juntos.

Ocorre o mesmo com os seres humanos. Basta observar e comprovar.

Quando uma pessoa busca defeitos em outra, a situação torna-se tensa e negativa; ao contrário, quando se busca com sinceridade os pontos fortes dos outros, florescem as melhores conquistas humanas.

É fácil encontrar defeitos, qualquer um pode fazê-lo.

Mas encontrar qualidades... isto é para os sábios!!!!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

o vendedor de balões


Era uma vez um velho homem que vendia balões numa quermesse.

Evidentemente, o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma multidão de jovens compradores de balões.

Havia ali perto um menino negro.

Estava observando o vendedor e, é claro apreciando os balões.

Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco.

Todos foram subindo até sumirem de vista.

O menino, de olhar atento, seguia a cada um.

Ficava imaginando mil coisas...

Uma coisa o aborrecia, o homem não soltava o balão preto.

Então aproximou-se do vendedor e lhe perguntou:

- Moço, se o senhor soltasse o balão preto, ele subiria tanto quanto os outros?

O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse:

- Não é a cor, filho, é o que está dentro dele que o faz subir.


Anthony de Mello.


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

O amor


"O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.......tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta." I Corintios 13.4;7

Houve, séculos atrás, uma tribo cujo chefe era tido como superior aos chefes de todas as demais tribos.
Naquela época, a superioridade era medida pela força física.
Assim, a tribo mais poderosa era a que tinha o chefe mais forte.
Mas o chefe de que estamos falando não tinha somente força física.
Ele era também conhecido por sua sabedoria.

Desejando que o povo vivesse em segurança, ele criou leis abrangendo todos os aspectos da vida tribal.
Eram leis severas que ele, como juiz imparcial, fazia cumprir com rigor.
Certa feita, problemas começaram acontecer na tribo.
Alguém estava cometendo pequenos furtos.
O chefe reuniu a tribo e com tristeza no olhar, frisou que as leis tinham saído feitas para os proteger, para os ajudar.


Como todos tinham o de que necessitavam para viver, não havia necessidade de ocorrerem furtos.
Assim, ele estabeleceu que o responsável teria o castigo habitual aumentado de 10 para 20 chibatadas.
Os furtos, entretanto, continuaram.
Ele voltou a reunir o grupo e aumentou o castigo para 30 chibatadas.
Mas os furtos não cessaram.

"Por favor", pediu o chefe. "estou suplicando. Para o bem de vocês, os furtos precisam parar. Eles estão causando sofrimento entre nós."
E aumentou o castigo para 40 chibatadas.

Naquele dia, os que estavam próximos dele, viram que uma lágrima escorreu pela sua face, quando ele dispersou o grupo.
Finalmente, um homem veio dizer que tinha identificado o autor dos furtos.
A notícia se espalhou e todos se reuniram para ver quem era.
Um murmúrio de espanto percorreu a pequena multidão, quando a pessoa foi trazida por dois guardas.


A face do chefe empalideceu de susto e sofrimento.
Era sua mãe.
Uma senhora idosa e frágil.
"E agora?" Pensou o povo em voz alta. Todos começaram a se questionar se o chefe seria, ainda assim, imparcial.
Será que ele faria cumprir a lei?
Seria o amor por sua mãe capaz de o impedir de cumprir o que ele mesmo estabelecera?


Notava-se a luta íntima do chefe que, por fim, falou:
"Meu amado povo. Faço isso pela nossa segurança e pela nossa paz. As 40 chibatadas devem ser aplicadas, porque o sofrimento que este delito nos causou foi grande demais."
Acenou com a cabeça e os guardas fizeram sua mãe dar um passo à frente.


Um deles retirou o manto dela, deixando à mostra as costas ossudas e arqueadas.

O carrasco, armado de chicote, se aproximou e começou a desenrolar o seu instrumento de punição.
Nesse momento, o chefe deu um passo à frente.
Retirou o seu manto e todos puderam ver seus ombros largos, bronzeados e firmes.
Com muito carinho, ele passou os braços ao redor de sua querida mãe, protegendo-a, por inteiro, com o próprio corpo.
Ele encostou o seu rosto ao da mãe e misturou as suas com as lágrimas dela.
Murmurou-lhe algo ao ouvido e então, fez um sinal afirmativo para o encarregado.


O homem se aproximou e desferiu, nos ombros fortes e vigorosos do chefe da tribo uma chibatada, após outra, até completar exatamente 40.
Foi um momento inesquecível para toda a tribo que aprendeu, naquele dia, como se podem harmonizar com perfeição, o amor e a justiça.
O amor é vida, e a compaixão manifesta-lhe a grandeza e o significado.
O amor tudo pode e tudo vence, encontrando soluções para as situações mais difíceis e controvertidas.
Enfim, o amor existe com a finalidade exclusiva de tornar feliz quem o cultiva, enriquecendo àqueles aos quais se dirige.

John Macarthur

Que possamos também deixar o amor falar em nossos corações



segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

O que fazer?


Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado. Às vezes nos falta esperança, mas alguém aparece para nos confortar. Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa. Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar, é nossa razão de existir. Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino.

Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa. Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um por do sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto, é a força da natureza nos chamando para a vida. Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança, te traíram sem qualquer piedade.

Percebe que não há como distinguir os bons e os maus, pois poucos nascem assim, a vida é que os torna melhores ou piores, pelas tristezas e felicidades que passaram e experiências vivenciadas. É como se a vida fosse formada por corações e cruzes, onde os corações representam nossos momentos felizes, o carinho e amor que recebemos, e as cruzes são nossas dores, decepções, sofrimentos, momentos ruins pelos quais passamos.

Então você poderá entender que alguns de nós vivenciaram pouquíssimas cruzes e muitos corações o que fará com que essas pessoas tenham muito mais amor a transmitir, outras passaram pelo contrário e são predominantemente frias, insensíveis, buscam coisas materiais, acreditam que os fins justificam os meios, com essas é preciso ter cuidado, alguns podem mudar e melhorar, outros podem mudar você e trazê-lo para a realidade deles.

Assim ao conhecer alguém preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu. Não deixe de acreditar no amor, mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá, manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam, esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa te deixar, então nada irá lhe restar.

Aproveite ao máximo seus momentos de felicidade, quando menos esperamos iniciam-se períodos difíceis em nossas vidas. Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento, manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco, pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso, do que teria sido no passado.

Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário, existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo. Não procure querer conhecer seu futuro antes da hora, nem exagere em seu sofrimento, esperar é dar uma chance à vida para que ela coloque a pessoa certa em seu caminho.

A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna. A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é que ela venha para ficar e não esteja apenas de passagem, como acontece com muitas pessoas que cruzam nosso caminho.

François de Bitencourt


domingo, 15 de janeiro de 2012

As Bananas


Numa experiência científica um grupo de cientistas, colocou cinco macacos numa jaula.

No meio uma escada e sobre ela um cacho de bananas.

Quando um macaco subia na escada para pegar as bananas, os cientistas jogavam um jato de água fria nos que estavam no chão.

Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros o pegavam e batiam muito nele.

Com mais algum tempo, nenhum macaco subia mais a escada, apesar da tentação das bananas.

Então os cientistas substituíram um dos macacos por um novo. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo retirado pelos outros que o surraram.

Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não mais subia a escada.

Um segundo foi substituído e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado com entusiasmo da surra ao novato.

Um terceiro foi trocado e o mesmo ocorreu.

Um quarto e, afinal, o último dos veteranos foi substituído.

Os cientistas então ficaram com o grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam batendo naquele que tentasse pegar as bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles porque eles batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: "Não sei, mas as coisas sempre foram assim por aqui".
Albert Einstein dizia: "É mais fácil desintegrar um átomo que um preconceito".


sábado, 14 de janeiro de 2012

Par Perfeito


Era uma vez um anjinho muito distraído chamado AMOREL, que recebeu uma incumbência de Deus:

- AMOREL, acabo de inventar os humanos. Eles estão classificados como homem e mulher, cada um tem seu par perfeito e já estão todos alinhados de par em par. Pegue esta bandeja com humanos e leve para que eles habitem a Terra.

AMOREL ficou contente pois, há muito tempo, o Senhor não o chamava para tão nobre trabalho. O anjinho pegou a bandeja e ao virar uma esquina lá no céu, trombou com uma anjinha chamada AMANDA.

A bandeja voou longe, e todos os casais de humanos se misturaram.

AMOREL e AMANDA ficaram desesperados e foram contar para Deus o ocorrido e o Senhor falou: - Vocês derrubaram, vocês juntarão! Porém, parece que Deus se esqueceu que os anjinhos eram distraídos. E é por isso que a cada dia os casais se juntam e se separam. Os dois anjinhos, trabalham incessantemente para que o par perfeito original se encontrem.

O trabalho é muito difícil, tanto é, que por muitas vezes eles juntam pares errados, pois os humanos espalhados ficam inquietos e cobram o serviço dos anjinhos, o tempo todo. Quando os humanos se mostram muito desesperados, os anjinhos unem dois desesperados, mas logo depois percebem o engano e os separaram, e por muitas vezes, esta separação é brusca, pois não se tem tempo a perder.

Recebi um bilhete dos dois anjinhos e vou mandar pra você agora.

"Se você é um humano, queremos pedir desculpas pela nossa distração, pois errar não é só humano! Estamos trabalhando com empenho, porém, sempre contando com a ajuda de vocês. Não se desesperem mas também, não se isolem.

Tentem se mostrar realmente, quem é cada um de vocês, pois a medida que cada um mostrar o que é de verdade, vai tornar o nosso trabalho mais fácil. Aproveitamos a oportunidade, para nos desculpar pelas separações abruptas, sabemos que elas geram muito transtorno, mas se nós o separamos de alguém, é por que em algum canto vimos alguém bem mais parecido e por isso precisamos isolá-los para facilitar o encontro."


Frases de par perfeito:
Não é o perfeito, mas o imperfeito, que precisa de amor. Oscar Wilde
Ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa. William Shakespeare
O tempo é o melhor autor; sempre encontra um final perfeito. Charles Chaplin
No amor somos injustos, porque supomos que o outro é perfeito. Jean Paul
Deus é o perfeito poeta, que atua nas suas próprias criações. Robert Browning
Não há nada mais gratificante do que o afeto correspondido, nada mais perfeito do que a reciprocidade de gostos e a troca de atenções.



sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Busca


Um homem sussurrou:

- Deus, fale comigo.

E um rouxinol começou a cantar.

Mas o homem não ouviu.
Então o homem repetiu:

-- Deus, fale comigo!

E um trovão ecoou nos céus.

Mas o homem foi incapaz de ouvir...

O Homem olhou em volta e disse:

- Deus, deixe-me vê-lo.

E uma estrela brilhou no céu.

Mas homem não a notou.

O homem começou a gritar:

- Deus, mostre-me um milagre

E uma criança nasceu

Mas o homem não sentiu o pulsar da vida...

Então o homem começou a chorar e a se desesperar:

- Deus, toque-me e deixe-me sentir que você está aqui.

E uma borboleta pousou suavemente e em seu ombro.

O homem espantou a borboleta com a mão e, desiludido,

continuou o seu caminho...

...Será que nós estamos preparados para perceber que

nem sempre o caminho que esperamos encontrar é o que

buscamos?

Será que não conseguimos vislumbrar outros caminhos que

se nos apresentam no nosso caminhar pela vida,

endurecidos na desilusão de nossas expectativas?

Será que não conseguimos perceber que a felicidade está

presente em caminhos diversos, e quanto a vida é rica de

oportunidades e que Deus está presente em cada partícula

do Universo.

E mesmo assim ficamos cegos à sua presença porque sua

manifestação não é como a esperávamos?

Pensem nisso, amigos. E vamos em busca da felicidade,

que se encontra, quem sabe, onde menos a esperamos:

DENTRO DE NÓS MESMOS...

PERMITA QUE DEUS FAÇA MORADA
EM SEU CORAÇÃO E EM SUA VIDA !
ELE TE AMA......


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Esperar por um novo dia






Geralmente estamos procurando, procurando e procurando explicações para as coisas que acontecem em nossa vida.
Ficamos dias, meses, anos e até partimos daqui sem saber o porquê de determinados fatos.
Quando não conhecemos as leis que regem as energias deste nosso planeta, preferimos chamar estes fatos de coincidência, de conspiração do universo, e muitos acreditam que o responsável por tudo isto é o destino.
O destino é um processo tão complicado para a mente humana, que o seu produto final é um grande mistério.
Talvez seja importante entender a palavra "destino", mas não decifrá-la, pois se
Deus chegasse até nós com o resultado final da nossa existência, a vida ficaria
um pouco sem graça.O que nos move é a expectativa por um novo
dia.
Tenha certeza de uma coisa:
Deus é sábio e lhe reserva um grande presente no seu destino final. Basta
acreditar!

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Tributo ao tempo

Tudo o que vive não vive sozinho, nem pra si mesmo.
"Dizem que a vida é curta, mas não é verdade.
A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades.
E essa tal felicidadeanda por aí, disfarçada, como uma criança traquina brincando de
esconde-esconde.
Infelizmente às vezes não percebemos isso e passamos nossa existência colecionando nãos: a viagem que não fizemos, o presente que não demos, a festa que não fomos, o amor que não vivemos, o perfume que não sentimos.
A vida é mais emocionante quando se é ator e não espectador; quando se é piloto e não passageiro, pássaro e não paisagem, cavaleiro e não montaria.
E como ela é feita de instantes, não pode nem deve ser medida em anos ou meses, mas em minutos e segundos.
Esta mensagem é um tributo ao tempo.
Tanto àquele tempo que você soube aproveitar no passado quanto àquele tempo que você
não vai desperdiçar no futuro.
Porque a vida é agora...
" "Não tenha medo do futuro, apenas lute e se esforce ao máximo para que ele seja do jeito que você sempre desejou""
A morte não é a maior perda da vida.
A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos."

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Você gosta?

Você gosta do meu vestido? ela perguntou à uma estranha que passava. - Minha mãe
fez para mim. Ela disse com uma lágrima nos olhos.

- Bem, eu acho que é muito
bonito, mas me conta, por que você está chorando?

Com um ligeiro tremor na voz a
menina respondeu.

- Depois que mamãe me fez este vestido, ela teve que ir embora.

- Bem, disse a senhora, agora você deve ficar esperando por ela, estou
certa que ela voltará em breve.

- Não madame, você não entendeu, disse a
criança, meu pai disse que ela agora está lá em cima, no céu, com meu
avô.

Finalmente a mulher percebeu o que a criança quis dizer e por que ela
estava chorando.

Ajoelhando-se suavemente embalou a criança nos braços e a
acariciava enquanto juntas choravam.

Então, de repente, a menina fez algo que a mulher achou muito estranho.

Ela parou de chorar e começou a cantar.

Ela cantava tão suavemente que era quase um sussurro.

Era o mais doce som que a mulher já tinha ouvido, quase como uma canção de um pássaro.


Quando a criança parou de cantar, explicou à senhora,

- Minha mãe cantou esta canção para mim antes de ir-se embora, e ela me fez prometer sempre cantar quando começasse a chorar, que isso me faria parar.

Veja, ela exclamado, cantei e agora meus olhos estão secos!Quando a mulher virou-se para ir
embora, a pequena menina agarrou sua roupa,

- Senhora, você pode ficar apenas mais um minuto? Eu quero mostrar-lhe algo.

- Claro que sim.Ela respondeu, o que você quer que eu veja? Apontando a uma mancha no vestido, ela disse,

- Aqui está a marca de onde minha mãe beijou meu vestido,e aqui, disse apontando outra mancha, é outro beijo, e aqui, e aqui, a mamãe disse
que colocou todos esses beijos em meu vestido de modo que eu sempre tenha seus beijos se algo me fizer chorar.

Então a senhora percebeu que não estava apenas olhando para um vestido. Não, ela estava olhando para uma mãe que sabia que ia partir e que não estaria presente para beijar as lesões que a filha viesse a ter. Assim ela pegou todo o amor que tinha por aquela pequena menina bonita e os colocou no vestido, vestido que agora a criança usava tão
orgulhosamente.

Ela já não via apenas uma pequena menina dentro de um simples vestido, ela via uma
criança embrulhada no amor de sua mãe.

Bom dia!!!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Só tem quem pode


Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém.
Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância.
É coisa de homem sim e se ela não receber de voce vai pegar de outro.
Beijos matinais e um "eu te amo" no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia.
Flores também fazem parte de seu cardápio; mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.
Respeite a natureza. Voce não suporta TPM? Case-se com um homem.
Mulheres mestruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia.
Não faça sombra sobre ela. Se voce quizer ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás.
Assim, quando ela brilhar, voce vai pegar um bronzeado.
Porém, se ela estiver atrás, voce vai levar um pé-no-traseiro.
Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.
O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios.
Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a sí mesmo.
É, meu amigo, se voce acha que mulher é caro demais, vire gay.
Só tem mulher quem pode.

Luiz Fernando Veríssimo


domingo, 8 de janeiro de 2012

Lições de Vida




DEZ COISAS A SEREM APRENDIDAS COM O TSUNAMI NO JAPÃO
A carta abaixo foi escrita por um imigrante vietnamita que é policial no Japão (Fukushima).
Foi enviada a um jornal em Shangai que traduziu e publicou.
Eu procurei ser o mais fiel possível ao texto original.
Espero que gostem!
Querido irmão,Como estão você e sua família? Estes últimos dias tem sido um verdadeiro caos. Quando fecho meus olhos, vejo cadáveres e quando os abro, também vejo cadáveres.
Cada um de nós está trabalhando umas 20 horas por dia e mesmo assim, gostaria que houvesse 48 horas no dia para poder continuar ajudar e resgatar as pessoas.
Estamos sem água e eletricidade e as porções de comida estão quase a zero.
Mal conseguimos mudar os refugiados e logo há ordens para mudá-los para outros lugares.Atualmente estou em Fukushima – a uns 25 quilômetros da usina nuclear.
Tenho tanto a contar que se fosse contar tudo, essa carta se tornaria um verdadeiro romance sobre relações humanas e comportamentos durante tempos de crise.
As pessoas aqui permanecem calmas – seu senso de dignidade e seu comportamento são muito bons – assim, as coisas não são tão ruins como poderiam.
Entretanto, mais uma semana, não posso garantir que as coisas não cheguem a um ponto onde não poderemos dar proteção e mantera ordem de forma apropriada.Afinal de contas, eles são humanos e quando a fome e a sede se sobrepõem à dignidade, eles farão o que tiver que ser feito para conseguir comida e água.
O governo está tentando fornecer suprimentos pelo ar enviando comida e medicamentos, mas é como jogar um pouco desal no oceano.Irmão querido, houve um incidente realmente tocante que envolveu um garotinho japonês que ensinou um adulto como eu uma lição de como se comportar como um verdadeiro ser humano.
Ontem à noite fui enviado para uma escola infantil para ajudar uma organização de caridade a distribuir comida aos refugiados. Era uma fila muito longa que ia longe.
Vi um garotinho de uns 9 anos. Ele estava usando uma camiseta e um par de shorts.Estava ficando muito frio e o garoto estava no final da fila. Fiquei preocupado se, ao chegar sua vez, poderia não haver mais comida. Fui falar com ele. Ele disse que estava na escola quando o terremoto ocorreu.
Seu pai trabalhava perto e estava se dirigindo para a escola.O garoto estava no terraço do terceiro andar quando viu a tsunami levar o carro do seu pai.Perguntei sobre sua mãe. Ele disse que sua casa era bem perto da praia e que sua mãe e sua irmãzinha provavelmente não sobreviveram. Ele virou a cabeça para limpar uma lágrima quando perguntei sobre sua família.O garoto estava tremendo. Tirei minha jaqueta de policial e coloquei sobre ele. Foi ai que a minha bolsa de comida caiu. Peguei-a e dei-a a ele. “Quando chegar a sua vez, a comida pode ter acabado. Assim, aqui está a minha porção. Eu já comi.
Por que você não come”?Ele pegou a minha comida e fez uma reverência. Pensei que ele iria comer imediatamente, mas ele não o fez. Pegou a bolsa de comida, foi até o início da fila e colocou-a onde todas as outras comidas estavam esperando para serem distribuídas
.Fiquei chocado. Perguntei-lhe por que ele não havia comido ao invés de colocar a comida na pilha de comida para distribuição.
Ele respondeu: “Porque vejo pessoas com mais fome que eu. Se eu colocar a comida lá, eles irão distribuir a comida mais igualmente”.Quando ouvi aquilo, me virei para que as pessoas não me vissem chorar.
Uma sociedade que pode produzir uma pessoa de 9 anos que compreende o conceito de sacrifício para o bem maior deve ser uma grande sociedade, um grande povo.Bem, envie minhas saudações a sua família.
Tenho que ir, meu plantão já começou.
Ha Minh Thanh
Vejam que interessante - morreram mais de 15 mil pessoas no Japão – em dois desastres que fazem com que as nossas enchentes sejam coisas evitáveis (e são, basta as pessoas terem vergonha !).O que podemos aprender com o Japão?
DEZ COISAS A SEREM APRENDIDAS PELO JAPÃO
1 – A CALMA
Nenhuma imagem de gente se lamentando, gritando e reclamando que “havia perdido tudo”. A tristeza por si só já bastava
.2 – A DIGNIDADE
Filas disciplinadas para água e comida. Nenhuma palavra dura e nenhum gesto de desagravo.
3 – A HABILIDADE
Arquitetos fantásticos, por exemplo. Os prédios balançaram, mas não caíram.
4 – A SOLIDARIEDADE
As pessoas compravam somente o que realmente necessitavam no momento.Assim todos poderiam comprar alguma coisa.
5 – A ORDEM
Nenhum saque a lojas. Sem buzinaço e tráfego pesado nas estradas.Apenas compreensão.
6 – O SACRIFÍCIO
Cinquenta trabalhadores ficaram para bombear água do mar para os reatores da usina de Fukushima. Como poderão ser recompensados?
7 – A TERNURA
Os restaurantes cortaram pela metade seus preços. Caixas eletrônicos deixados sem qualquer tipo de vigilância. Os fortes cuidavam dos fracos.
8 – O TREINAMENTO
Velhos e jovens, todos sabiam o que fazer e fizeram exatamente o que lhes foi ensinado.
9 – A IMPRENSA
Mostraram enorme discrição nos boletins de notícias. Nada de reportagens sensacionalistas com repórteres imbecis. Apenas calmas reportagens dos fatos.
10 – A CONSCIÊNCIA
Quando a energia acabava em uma loja, as pessoas recolocavam as mercadorias nas prateleiras e saiam calmamente......




sábado, 7 de janeiro de 2012

Uma estrada apenas sua





Há uma estrada cujo único dono e
senhor é Você:

É a Estrada do Seu Pensamento.

Nela você também é o único
vigilante rodoviário.

Você tem se aplicado algumas merecidas multas?

Note que a Estrada do Seu Pensamento pode ser percorrida do jeito que
você quiser escolher.

Nela, as placas de sinalização é você quem faz e elas sempre o levarão para onde você deixar.

Perceba que lombadas e valetas também são colocadas por você, portanto você é o único responsável pelo conforto ou desconforto de suas “viagens.”

Você pode escolher as paisagens:
Árvores verdes e viçosas ou troncos secos e cheios de cupins.

Poderá, ainda, entrar por túneis ricamente iluminados ou pelos escuros e sombrios, pondo-se à mercê de atropelamentos, trombadas e graves acidentes.

Nela há também os passantes que é
você quem escolhe, e eles poderão acompanhá-lo em suaves e repousantes passeios ou encher seu caminho das mais variadas pontiagudas
e perigosas pedras.

Observe as retas, as curvas, os atalhos, as bifurcações e os bloqueios que é você mesmo quem coloca.

A Estrada do seu Pensamento não é de mão única e você pode retornar
sempre que decidir.

Lembre-se que há pontos onde pode começar a insanidade ou a verdadeira saúde mental, a tristeza ou a alegria.

A bênção ou a maldição, um recomeço,
uma Nova Vida ou a queda para
um amargo fim.

AONDE VOCÊ

QUER CHEGAR?

Há todo tipo de operário nessa estrada, mas você é o Chefe!

Autora: Silvia Schmidt

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Estou calmo ou ansioso?


"Pois assim diz o Senhor Deus, o Santo de Israel: Voltando e descansando, sereis salvos; no sossego e na confiança estará a vossa força. Mas não quisestes;" Isaías 30:15

Para conhecer-mos realmente a DEUS é absolutamente necessário haver silêncio em nosso interior.

Lembro-me de quando, pela primeira vez, percebi isto. Havia surgido uma situação de grande emergência em minha vida. Cada parte do meu ser parecia tremer de ansiedade, e a necessidade de uma ação imediata e decisiva parecia impelir-me com força; no entanto, as circunstâncias eram tais que eu não podia fazer nada, e a pessoa que podia, não fazia um movimento sequer.

Por um pequeno espaço de tempo, foi como se eu fosse ficar em pedaços, por causa do tumulto interior em que me achava; de repente uma voz mansa e delicada segredou no fundo do meu ser:

"Aquietai-vos, e sabei que eu sou DEUS". A palavra veio com poder, e eu atendi. Sujeitei meu corpo a uma grande quietude, obriguei meu conturbado espírito a acalmar-se, olhei para cima e esperei; então "conheci" que era DEUS, DEUS mesmo, que vinha, naquela emergência e dificuldade, para resolver meu problema; descansei nEle.

Foi uma experiência que eu não queria ter perdido por preço algum; e devo acrescentar também que desta quietude pareceu surgir um novo poder para enfrentar a dificuldade, que em pouco tempo a trouxe a bom termo.  

Aprendi então, efetivamente, que em estar quieto estava a minha força.

- Hannah Whitall Smith

Existe uma certa passividade que não é indolência, é uma quietude viva, nascida da confiança.

Tensão quieta não é confiança.

É simplesmente ansiedade reprimida.

E na Obra de DEUS... estou Calmo ou Ansioso.

"Guia-me com a tua verdade e ensina-me, pois tu és Deus, meu Salvador, e a minha esperança está em ti o tempo todo." Salmos 25:5

 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Pão Quente






"Aquele que tem os Meus mandamentos e os guarda,
esse é o que Me ama...Quem não Me ama não guarda
as Minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo
não é Minha,mas do Pai, que Me enviou”.
(João 14.21,24).

A palavra sempre fez parte do mistério de Deus e,

também, de todos os poetas. Seria absurdo querer

entender uma poesia conhecendo sua métrica,

morfologia e a gramática histórica que lhe configurou um

sentido social. Não, não se entende poesia assim. Poesia

é para ser lida e sentida na medida que as palavras fluem

em nossa mente. Alguns gostam de recitar poesia porque

a melodia das rimas parece ter o mesmo efeito das notas

de uma música apreciada. Creio que Deus deve ser Poeta

pois ele insiste em fazer uso das palavras para serem

sentidas na mente e no corpo.

Podemos afirmar que amar é guardar quem se ama no

coração. Todavia não esquecendo a poesia desta

afirmação podemos concluir que amar é construir em

palavras quem se ama. Sim, é verdade. Quem ama tem o

poder de construir pela palavra e com palavras a pessoa

amada. Talvez por isso devemos ter o cuidado de nunca

amar coisas, bens materiais ou riquezas. Quando amamos

tais coisas as nossas palavras começam a falar de coisas

mortas e de nossa própria morte. Quando amamos

falamos de pessoas, sempre de pessoas. Sim, elas são o

verdadeiro bem que vale a pena investir e gastar a vida.

Talvez por isso Jesus tenha gastado Sua vida até o fim.

Talvez ele tenha feito de Suas palavras um verdadeiro

gesto de amor e esperança viva. Jesus amou pessoas,

sempre pessoas, e deixou um grande legado para todos os

Seus seguidores: todos aqueles que fizerem uso de Suas

palavras para torná-las palavra de Deus estarão próximos

do coração do próprio Deus. Serão amados por Deus e ser

amado por Deus é viver para sempre. Mas onde

descobrimos a força deste grande legado de Jesus? Na

Bíblia: a Palavra viva de Deus para nós, os cristãos.


Nós precisamos redescobrir a força da palavra que faz

viver as pessoas. Devemos ter a coragem de decidir abrir

nossas Bíblias e ler as palavras que possuem o poder de

construir uma esperança viva. A mensagem do evangelho

de João é um convite para que deixemos a palavra de

Deus ganhar mais espaço em nosso cotidiano. Assim, a

leitura e a meditação na palavra de Deus nos ajudará a

perceber o poder dessa palavra para refazer a vida e o

verdadeiro amor de Jesus na vida do mundo. Muita coisa

pode mudar naqueles que estão próximos de nós quando

decidimos guardar no coração e viver pra valer a palavra

de Jesus. Sim, a palavra de Jesus ainda pode ser ouvida:

“Aquele que tem os Meus mandamentos e os guarda, esse

é o que Me ama”.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Faxina





Não leve a faxina ou o trabalho tão a sério!
Pense que a camada de pó vai proteger a madeira que está por baixo dela!
Uma casa só vai virar um lar quando você for capaz de escrever "Eu te amo" sobre os móveis !Antigamente eu gastava no mínimo 8 horas por semana para manter tudo bem limpo, caso "alguém aparecesse para visitar" -mas depois descobri que ninguém passa "por acaso" para visitar.
Todos estão muito ocupados passeando, se divertindo eaproveitando a vida!
E agora.... se alguém aparecer de repente?
Não tenho que explicar a situação da minha casa à ninguém!!...
As pessoas não estão interessadas em saber o que eu fiquei fazendo o dia todo enquanto elas passeavam,se divertiam e aproveitavam a vida...
Caso você ainda não tenha percebido:
A VIDA É CURTA ...APROVEITE-A!!!
Tire o pó ... se precisar.Mas não seria melhor pintar um quadro ou escreveruma carta, dar um passeio ou visitar um amigo, assarum bolo e lamber a colher suja de massa, plantar e regar umassementinhas?
Pese muito bem a diferença entre QUERER e PRECISAR!
Tire o pó.... se precisar.Mas você não terá muito tempo livre para festejar,nadar, escalar montanhas, brincar com os cachorros,ouvir música, ler livros, cultivar os amigos, fazer tudoo que gosta e aproveitar a vida!!!
Tire o pó... se precisar.Mas a vida continua lá fora, o sol iluminando os olhos, o ventoagitando os cabelos, um floco de neve (quem sabe?...), asgotas da chuva caindo mansamente...
Pense bem, este dia não voltará jamais!!!
Tire o pó... se precisar.Mas não se esqueça que você vai envelhecer e muitacoisa não será mais tão fácil de fazer como agora...E, quando você partir, como todos nós partiremosum dia, também vai virar pó!!!
Nínguém vai se lembrar de quantas contas você pagou, nem deixa sua casa tão limpinha, mas vão se lembrar de sua amizade,de sua alegria e do que você ensinou.
AFINAL:Não é o que você "juntou", e sim o que você "espalhou"que reflete como você viveu a sua vida!!!"

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Você sabe lidar com obstáculos?








O que seria a alegria se não tivéssemos nem um momento de dificuldade? É verdade que quando estamos tristes dá vontade de desistir, perdemos a esperança, choramos, nos fechamos para o mundo. Pare um pouco e lembre-se de todas as vezes que você caiu; sempre havia um dia seguinte, um outro e um outro.


Algumas vezes, você sentiu uma mão amiga te levantando.


Outras vezes, você respirou fundo e levantou sozinho, com vontade de tentar mais uma vez. O importante é saber que sempre após a queda, ainda que demore um pouquinho ou um pouco mais de tempo, você se levanta, mesmo quando acredita que todas as suas forças se extinguiram e que o mundo acabou com elas. Neste momento, você percebe a importância das amizades, da esperança, da força de vontade, do querer, do buscar, do acreditar.


Acreditar em um mundo melhor, acreditar em amor eterno, em amor fraterno. Acreditar em paz e respeito pelo planeta e pelo ser humano. Acreditar também no poder de um sorriso e de uma ajuda sem pedir nada em troca. E que tem uma pessoa lá em cima, olhando por você.


Provavelmente, você caia de novo mas, tenho certeza, também vai alcançar o topo de muitas montanhas. O bom de tudo isso é que você vai acumulando experiência e se tornando uma pessoa melhor.


Os maiores ensinamentos da vida estão nos becos escuros, onde parece não ter nada.


Tenha sensibilidade e paciência para saber encontrá-los. O mundo, com as suas diferenças e semelhanças, funciona em um ciclo perfeito de vida em que todos têm a chance de buscar a felicidade e alcançá-la. Obstáculos sempre existirão, e pessoas com más intenções estarão a sua volta.


É inevitável que as pedras estejam em nosso caminho. O diferencial aqui é saber lidar com tudo isso da melhor forma possível, para que você não saia ferido. Saber tirar proveito destas situações, aprendendo com elas; isso poderá tornar a sua vida muito mais fácil e gratificante.


Marília Zanim