quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Desejos de Bruxa




Desejos contidos no meu caldeirão de Amor


Que a VERDADE sempre esteja acima de tudo.

Que as coisas pequenas, como a inveja ou o desamor, sejam retiradas de nossa vida.

Que o PERDÃO e a compreensão superem as amarguras e as desavenças.

Que as VERDADEIRAS AMIZADES continuem eternas e tenham sempre um lugar especial em nossos corações.

Que o CARINHO esteja presente em um simples olá, ou em qualquer outra frase, ou digitada rapidamente.

Que aquele que necessite ajuda encontre sempre em nós uma animadora palavra amiga.

Que o AMOR pelo próximo seja nossa meta absoluta.
Que nossa JORNADA de hoje e de sempre esteja repleta de flores, paz e amor...

Que as lágrimas sejam poucas e compartilhadas.
Que as alegrias estejam sempre presentes e sejam festejadas por todos.

Que os CORAÇÕES estejam sempre abertos para novas amizades, novos amores, novas conquistas.

E finalmente: Que DEUS esteja sempre com sua mão estendida apontando o caminho correto."

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Pequena parcela



Que eu continue a acreditar no outro mesmo sabendo de alguns valores tão estranhos que permeiam o mundo!
Que eu continue otimista... mesmo sabendo que o futuro que nos espera nem sempre é tão alegre!

Que eu continue com a vontade de viver mesmo sabendo que a vida é em muitos momentos, uma lição difícil de ser aprendida!

Que eu permaneça com a vontade de ter grandes amigos, mesmo sabendo que com as voltas do mundo, eles vão indo embora de nossas vidas!

Que eu realimente sempre a vontade de ajudar as pessoas, mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, sentir, entender ou utilizar esta ajuda!

Que eu mantenha meu equilíbrio, mesmo sabendo que os desafios são inúmeros ao longo do caminho!

Que eu exteriorize a vontade de amar, entendendo que amar não é sentimento de posse... É sentimento de doação!

Que eu sustente a luz e o brilho no olhar, mesmo sabendo que muitas coisas que vejo no mundo, escurecem meus olhos!

Que eu retroalimente minha garra, mesmo sabendo que a derrota e a perda são ingredientes tão fortes quanto o Sucesso e a Alegria!

Que eu atenda sempre mais a minha intuição, que sinaliza o que de mais autêntico possuo!

Que eu pratique sempre mais o sentimento de justiça, mesmo em meio à turbulência dos interesses!

Que eu não perca o meu forte abraço e o distribua sempre; que eu perpetue a Beleza e o Brilho de ver, mesmo sabendo que as lágrimas também brotam dos meus olhos!

E que eu manifeste o amor por minha família, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exige muito para manter sua harmonia!

Que eu acalente a vontade de ser grande, mesmo sabendo que minha parcela de contribuição no mundo é pequena!

E, acima de tudo... Que eu lembre sempre que todos nós fazemos parte desta maravilhosa teia chamada Vida, criada por Alguém bem superior a todos nós!
E que as grandes mudanças não ocorrem por grandes feitos de alguns e, sim, nas pequenas parcelas cotidianas de todos nós!


(Chico Xavier)

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Caminhada



Sei que na minha caminhada tem um destino e uma direção, por isso devo medir meus passos, prestar atenção no que faço e no que fazem os que por mim também passam ou pelos quais passo eu..


Que eu não me iluda com o ânimo e o vigor dos primeiros trechos, porque chegará o dia em que os pés não terão tanta força e se ferirão no caminho e se cansarão mais cedo...


Todavia, quando o cansaço houver, que eu não me desespere e acredite que ainda terei forças para continuar, principalmente quando houver quem me auxilie...


É oportuno que, em meus sorrisos, eu me lembre de que existem os que choram, que, assim, meu riso não ofenda a mágoa dos que sofrem: por outro lado, quando chegar a minha vez de chorar, que eu não me deixe dominar pela desesperança, mas que eu entenda o sentido do sofrimento, que me nivela, que me iguala, que torna todos os homens iguais...


Quando eu tiver tudo, farnel e coragem, água no cantil, e ânimo no coração, bota nos pés e chapéu na cabeça, e, assim, não temer o vento e o frio, a chuva e o tempo.


Que eu não me considere melhor do que aqueles que ficarão atrás, porque pode vir o dia em que nada terei mais para minha jornada e aqueles, que ultrapassei na caminhada, me alcançarão e também poderão fazer como eu fiz e nada de fato fazer por mim, que ficarei no caminho sem concluí-lo...


Quando o dia brilhar, que eu tenha vontade de ver a noite em que a caminhda será mais fácil e mais amena; quando for noite, porém e a escuridão tornar mais difícil a chegada, que eu saiba esperar o dia como aurora, o calor como bênção...


Que eu perceba que a caminhada sozinho pode ser mais rápida, mas muito mais vazia...


Quando eu tiver sede, que encontre a fonte no caminho, quando eu me perder, que ache a indicação, a seta, a direção...


Que eu não siga os que desviam, mas que ninguém se desvie seguindo os meus passos...


Que a pressa em chegar não me afaste da alegria de ver as flores simples que estão a beira da estrada, que eu não pertube a caminhada de ninguém, que eu entenda que seguir faz bem, mas que, às vezes, é preciso ter-se a bravura de voltar atrás e recomeçar e tomar outra direção...


Que eu não caminhe sem rumo, que eu não me perca nas encruzilhadas, mas que eu não tema os que assaltam-me, os que embuçam, mas que eu vá onde devo ir e, se eu cair no meio do caminho, que fique a lembrança de minha queda para impedir que outros caiam no mesmo abismo...


Que eu chegue, sim, mas, ainda mais importante, que eu faça chegar quem me perguntar, quem me pedir conselho, e acima de tudo, me seguir.


Confiando em mim !

domingo, 28 de outubro de 2007

A Gardênia Branca


Todos os anos, no dia do meu aniversário, desde que completei 12 anos, uma gardênia branca me era entregue anonimamente em casa.


Não havia nunca um cartão ou um bilhete e os telefonemas para o florista eram em vão, pois a compra era sempre feita em dinheiro vivo.


Depois de algum tempo, parei de tentar descobrir a identidade do remetente. Apenas me deleitava com a beleza e o perfume estonteante daquela única flor, mágica e perfeita, aninhada em camadas de papel de seda cor-de-rosa.


Mas nunca parei de imaginar quem poderia ser o remetente.


Alguns de meus momentos mais felizes eram passados sonhando acordada com alguém maravilhoso e excitante, mas tímido ou excêntrico demais para revelar sua identidade.


Durante a adolescência foi divertido especular que o remetente seria um garoto por quem eu estivesse apaixonada, ou mesmo alguém que eu não conhecia e que havia me notado.


Minha mãe freqüentemente alimentava as minhas especulações.


Ela me perguntava se havia alguém a quem eu tivesse feito uma gentileza especial e que poderia estar demonstrando anonimamente seu apreço.


Fez com que eu lembrasse das vezes em que estava andando de bicicleta e nossa vizinha chegara com o carro cheio de compras e crianças.


Eu sempre a ajudava a descarregar o carro e cuidava que as crianças não corressem para a rua.


Ou talvez o misterioso remetente fosse o senhor que morava do outro lado da rua.


No inverno, muitas vezes eu lhe levava sua correspondência para que ele não tivesse que se aventurar nos degraus escorregadios.


Minha mãe fez o que pôde para estimular minha imaginação a respeito da gardênia.


Ela queria que seus filhos fossem criativos. Também queria que nos sentíssemos amados e queridos, não apenas por ela, mas pelo mundo como um todo.


Quando estava com 17 anos, um rapaz partiu meu coração.


Na noite em que me ligou pela última vez, chorei até pegar no sono.


Quando acordei de manhã havia uma mensagem escrita com batom vermelho no meu espelho:


“Alegre-se, quando semideuses se vão, os deuses vêm.”


Pensei a respeito daquela citação de Emerson durante muito tempo e a deixei onde minha mãe a havia escrito até meu coração sarar.


Quando finalmente fui buscar o limpa-vidros, minha mãe soube que estava tudo bem novamente.


Mas houve certas feridas que minha mãe não pôde curar.


Um mês antes de minha formatura no segundo grau, meu pai morreu subitamente de enfarte.


Meus sentimentos variavam de dor a abandono, medo, desconfiança e raiva avassaladora por meu pai estar perdendo alguns dos acontecimentos mais importantes da minha vida.


Perdi totalmente o interesse em minha formatura que se aproximava, na peça de teatro da turma dos formandos e no baile de formatura – eventos para os quais eu havia trabalhado e que esperava com ansiedade. Pensei até mesmo em entrar em uma faculdade local, ao invés de ir para outro Estado como havia planejado, pois me sentiria mais segura.



Minha mãe, em meio à sua própria dor, não queria de forma alguma que eu faltasse a nenhuma dessas coisas.


Um dia antes de meu pai morrer, eu e ela tínhamos ido comprar um vestido para o baile e havíamos encontrado um, espetacular – metros e metros de musselina estampada em vermelho, branco e azul. Ao experimentá-lo, me senti como Scarlett O’Hara em E o Vento Levou... Mas não era do tamanho certo e, quando meu pai morreu no dia seguinte, esqueci totalmente o vestido.



Minha mãe, não.


Na véspera do baile, encontrei o vestido esperando por mim – no tamanho certo. Estava estendido majestosamente sobre o sofá da sala, apresentado para mim de maneira artística e amorosa.


Eu podia não me importar em ter um vestido novo, mas minha mãe se importava.


Ela estava atenta à imagem que seus filhos tinham de si mesmos.


Imbuiu-nos com uma sensação de mágica do mundo e nos deu a habilidade de ver a beleza mesmo em meio à adversidade.


Na verdade, minha mãe queria que seus filhos se vissem como a gardênia – graciosos, fortes, perfeitos, com uma aura de mágica e talvez um pouco de mistério.


Minha mãe morreu quando eu estava com 22 anos, apenas dez dias depois de meu casamento.


Esse foi o ano em que parei de receber gardênias.

sábado, 27 de outubro de 2007

La marioneta



Lindo texto enviado pela querida amiga Zulmira de Campinas



Se, por um instante, Deus se esquecesse de que sou uma marionete de trapo e me presenteasse com um pedaço de vida, possivelmente não diria tudo o que penso, mas, certamente, pensaria tudo o que digo.
Daria valor às coisas, não pelo que valem, mas pelo que significam.
Dormiria pouco, sonharia mais, pois sei que a cada minuto que fechamos os olhos, perdemos sessenta segundos de luz. Andaria quando os demais parassem, acordaria quando os outros dormem. Escutaria quando os outros falassem e gozaria um bom sorvete de chocolate.
Se Deus me presenteasse com um pedaço de vida, vestiria simplesmente, me jogaria de bruços no solo, deixando a descoberto não apenas meu corpo, como minha alma.
Deus meu, se eu tivesse um coração, escreveria meu ódio sobre o gelo e esperaria que o sol saísse. Pintaria com um sonho de Van Gogh sobre estrelas um poema de Mario Benedetti e uma canção de Serrat seria a serenata que ofereceria à Lua. Regaria as rosas com minhas lágrimas para sentir a dor dos espinhos e o encarnado beijo de suas pétalas.
Deus meu, se eu tivesse um pedaço de vida. Não deixaria passar um só dia sem dizer às gentes – te amo, te amo. Convenceria cada mulher e cada homem que são os meus favoritos e viveria enamorado do amor.
Aos homens, lhes provaria como estão enganados ao pensar que deixam de se apaixonar quando envelhecem, sem saber que envelhecem quando deixam de se apaixonar. A uma criança, lhe daria asas, mas deixaria que aprendesse a voar sozinha.
Aos velhos ensinaria que a morte não chega com a velhice, mas com o esquecimento. Tantas coisas aprendi com vocês, os homens...
Aprendi que todo mundo quer viver no cimo da montanha, sem saber que a verdadeira felicidade está na forma de subir a escarpa.
Aprendi que quando um recém-nascido aperta com sua pequena mão pela primeira vez o dedo de seu pai, o tem prisioneiro para sempre. Aprendi que um homem só tem o direito de olhar um outro de cima para baixo para ajudá-lo a levantar-se.
São tantas as coisas que pude aprender com vocês, mas, finalmente, não poderão servir muito porque quando me olharem dentro dessa maleta, infelizmente estarei morrendo.


Gabriel Garcia Marques

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Cuidar de nossas falhas


Linda mensagem que recebi da amiga querida Arlete, da Comunidade 1957
Certa vez, trabalhei em uma pequena empresa de Engenharia.

Foi lá que fiquei conhecendo um rapaz chamado Mauro.

Ele era grandalhão e gostava de fazer brincadeiras com os outros, sempre pregando pequenas peças.

Havia também o Ernani, que era um pouco mais velho que o resto do grupo.

Sempre quieto, inofensivo, à parte, Ernani costumava comer o seu lanche sozinho, num canto da sala.

Ele não participava das brincadeiras que fazíamos após o almoço, sendo que, ao terminar a refeição, sempre sentava sozinho debaixo de uma árvore mais distante.

Devido a esse seu comportamento, Ernani era o alvo natural das brincadeiras e piadas do grupo.

Ora ele encontrava um sapo na marmita, ora um rato morto em seu chapéu.

E o que achavamos mais incrível é que ele sempre aceitava aquilo sem ficar bravo.

Em um feriado prolongado, Mauro resolveu ir pescar no Pantanal.

Antes, nos prometeu que, se conseguisse sucesso, iria dar um pouco do resultado da pesca para cada um de nós.

No seu retorno, ficamos todos muito animados quando vimos que ele havia pescado alguns dourados enormes.

Mauro, entretanto, levou-nos para um canto e nos disse que tinha preparado uma boa peça para aplicar no Ernani.

Mauro dividira os dourados, fazendo pacotes com uma boa porção para cada um de nós.

Mas, a 'peça' programada era que ele havia separado os restos dos peixes num pacote maior, à parte.

- 'Vai ser muito engraçado quando o Ernani desembrulhar esse 'presente' e encontrar espinhas, peles e vísceras!', disse-nos Mauro, que já estava se divertindo com aquilo.

Mauro então distribuiu os pacotes no horário do almoço.

Cada um de nós, que ia abrindo o seu pacote contendo uma bela porção de peixe, então dizia:

- 'Obrigado!'.Mas o maior pacote de todos, ele deixou por último.

Era para o Ernani.

Todos nós já estávamos quase explodindo de vontade de rir, sendo que Mauro exibia um ar especial, de grande satisfação.

Como sempre, Ernani estava sentado sozinho, no lado mais afastado da grande mesa.

Mauro então levou o pacote para perto dele, e todos ficamos na expectativa do que estava para acontecer. Ernani não era o tipo de muitas palavras.

Ele falava tão pouco que, muitas vezes, nem se percebia que ele estava por perto.

Em três anos, ele provavelmente não tinha dito nem cem palavras ao todo.

Por isso, o que aconteceu a seguir nos pegou de surpresa.

Ele pegou o pacote firmemente nas mãos e o levantou devagar, com um grande sorriso no rosto.

Foi então que notamos que seus olhos estavam brilhando.

Por alguns momentos, o seu pomo de Adão se moveu para cima e para baixo, até ele conseguir controlar sua emoção.

- 'Eu sabia que você não ia se esquecer de mim', disse com a voz embargada.

- 'Eu sabia, você é grandalhão e gosta de fazer brincadeiras, mas sempre soube que você tem um bom coração'.

Ele engoliu em seco novamente, e continuou falando, dessa vez para todos nós: -

'Eu sei que não tenho sido muito participativo com vocês, mas nunca foi por má intenção.

Sabem... Eu tenho cinco filhos em casa, e uma esposa inválida, que há quatro anos está presa na cama.

E estou ciente de que ela nunca mais vai melhorar.

Às vezes, quando ela passa mal, eu tenho que ficar a noite inteira acordado, cuidando dela.

E a maior parte do meu salário tem sido para os seus médicos e os remédios.

As crianças fazem o que podem para ajudar, mas tem sido difícil colocar comida para todos na mesa.

Vocês talvez achem esquisito que eu vá comer o meu almoço sozinho, num canto... Bem, é que eu fico meio envergonhado, porque na maioria das vezes eu não tenho nada para pôr no meu sanduíche.

Ou, como hoje, eu tinha somente uma batata na minha marmita.

Mas eu quero que saibam que essa porção de peixe representa, realmente, muito para mim.

Provavelmente muito mais do que para qualquer um de vocês, porque hoje à noite os meus filhos...', ele limpou as lágrimas dos olhos com as costas das mãos.

- 'Hoje à noite os meus filhos vão ter, realmente, depois de alguns anos...' e ele começou a abrir o pacote... Nós tínhamos estado prestando tanta atenção no Ernani, enquanto ele falava, que nem havíamos notado a reação do Mauro.

Mas agora, todos percebemos a sua aflição quando ele saltou e tentou pegar o pacote das mãos do Ernani. Mas era tarde demais.

Ernani já tinha aberto e pacote e estava, agora, examinando cada pedaço de espinha, cada porção de pele e de vísceras, levantando cada rabo de peixe.

Era para ter sido tão engraçado, mas ninguém riu. Todos nós ficamos olhando para baixo.

E a pior parte foi quando Ernani, tentando sorrir, falou a mesma coisa que todos nós havíamos dito anteriormente:

- 'Obrigado!'.

Em silêncio, um a um, cada um dos colegas pegou o seu pacote e o colocou na frente do Ernani, porque depois de muitos anos nós havíamos, de repente, entendido quem era realmente o Ernani.

Uma semana depois, a esposa de Ernani faleceu.

Cada um de nós, daquele grupo, passou então a ajudar as cinco crianças.

Graças ao grande espírito de luta que elas possuíam, todas progrediram muito:

Carlinhos, o mais novo, tornou-se um importante médico. Fernanda, Paula e Luisa montaram o seu próprio e bem-sucedido negócio: elas produzem e vendem doces e salgados para padarias e supermercados.

O mais velho, Ernani Júnior, formou-se em Engenharia; sendo que, hoje, é o Diretor Geral da mesma empresa em que eu, Ernani e os nossos colegas trabalhávamos.

Mauro, hoje aposentado, continua fazendo brincadeiras; entretanto, são de um tipo muito diferente:

Ele organizou nove grupos de voluntários que distribuem brinquedos para crianças hospitalizadas e as entretêm com jogos, estórias e outros divertimentos.

Às vezes, convivemos por muitos anos com uma pessoa, para só então percebermos que mal a conhecemos.

Nunca lhe demos a devida atenção; não demonstramos qualquer interesse pelas coisas dela; ignoramos as suas ansiedades ou os seus problemas.


Que possamos manter sempre vivo, em nossas mentes, o ensinamento de Jesus Cristo:'


Como Eu vos amei, amai-vos também uns aos outros.'(João 13,34).Assim seja!


Oração:
Senhor, na profissão que abracei, quero cumprir da melhor maneira o meu dever.


Sempre disposto a dar de mim tudo o que estiver ao meu alcance, para atender a quem de mim precisar.


Quero viver do meu trabalho, sempre que puder.


E fazer dele, não apenas uma fonte de vida, mas principalmente um serviço ao próximo.


Acima de tudo, quero ver no meu semelhante alguém tal e qual eu também sou:semelhante a Vós, Criador e Amigo de todos nós.


Amém


'Deixemos de olhar as falhas alheias, cuidemos de nos livrar das nossas' - Tereza D´ Avila

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

13 passos para o bem




1- Por mais que lhe falem da tristeza,
Prossiga sorrindo!

2- Por mais que lhe demonstrem rancor,
Prossiga perdoando!

3- Por mais que lhe tragam decepções,
Prossiga confiando!

4- Por mais que lhe ameacem de fracasso,
Prossiga apostando na vitória!

5- Por mais que lhe apontem erros,
Prossiga com os seus acertos!

6- Por mais que discursem sobre a ingratidão,
Prossiga ajudando!

7- Por mais que noticiem a miséria,
Prossiga crendo na prosperidade!

8- Por mais que lhe mostrem destruições,
Prossiga na construção!

9- Por mais que acenem doenças,
Prossiga vibrando saúde!

10- Por mais que exibam ignorância,
Prossiga exercitando sua inteligência!

11- Por mais que o assustem com a velhice,
Prossiga sentindo-se jovem!

12- Por mais que plantem o mal,
Prossiga semeando o bem!

13- Por mais que contem mentiras,
Prossiga na sua verdade!

Por mais difícil que lhe pareçam essas 13 tarefas,
Prossiga acreditando na capacidade que Deus lhe deu para cumpri-las!

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Girassol


Hoje minha homenagem vai para a minha amiga Luzineire , de Porto Velho, pelo dia de seu aniversário.
Ela é uma pessoa iluminada como um girassol.


Nossos olhos são seletivos, nós "focalizamos" o que queremos ver e deixamos de ver o restante (ponto cego).


Escolha focalizar o lado melhor, mais bonito, mais vibrantedas coisas, assim como um girassol escolhe sempre estarvirado para o sol!


Você já reparou como é fácil ficar baixo astral?


Estou baixo astral porque está chovendo, porque tenhouma conta para pagar, porque não tenho exatamente o dinheiro ou aparência que eu gostaria de ter, porque ainda não fui valorizado, porque ainda não encontrei o amor da minha vida, porque a pessoa que quero não me quer, porque...


" É fácil, muito fácil, porque sempre vai teralguma coisinha para nos contrariar.


É claro que tem hora que a gente não está bem.


Faz parte da vida.


Mas a nossa atitude deveria ser a de uma antena que tenta, ao máximo possível, pegar o ladobom da vida.


Na natureza, nós temos uma antena que é assim.


O girassol.


O girassol se volta para onde o sol estiver.


Mesmo que o sol esteja escondido atrás de uma nuvem.


Nós temos de ser mais assim, aprender a realçar o quede bom recebemos.


Aprender a ampliar pequenos gestospositivos e transformá-los em grandes acontecimentos.


Você quer um exemplo?


Você já ajudou alguém em alguma coisa que você considerasse muito simples?


Algo como explicar uma matéria, fazer um pequeno favor,dar um elogio merecido?


Algo assim que não custou quasenada e o a outra pessoa ficou feliz? Já, não?



Mas você soube aproveitar este momento?


Você gravou no seu coração a expressão alegre da outra pessoa por alguma coisa que você fez?


Pense nisso. Pense se você soube realmente extrair abeleza daquele momento. O ser humano precisa de beleza.


Não estamos falando da beleza externa, dos padrõesde beleza, estamos falando da beleza como um todo.


E principalmente da beleza que reside dentro das coisas, das pessoas e até mesmo dentro dos nossos olhos.


Porque a beleza que já vive dentro de nós é que vaireconhecer a beleza em todos os outros lugares,você sabia disso?


Se não tivéssemos referencial de beleza, não saberíamosreconhecê-la.


Por que não?Imagine que você só conhecesse o bem.


Você não saberia reconhecer o mal.


Para reconhecer a beleza, portanto, é preciso carregarum pouco dela consigo, dentro dos olhos, dentro docoração.


Temos de treinar para sermos girassol, que busca o sol, a vitalidade, a força, a beleza.


Suponhamos que você já soubesse que iria viajar para um lugar muito bonito.


O lugar já é bonito, mesmo quevocê não soubesse disso ele já iria te surpreender,
certo?


Mas faz a diferença a expectativa com que você vai.Você verá mais os detalhes, aproveitará melhor o momentoúnico que saberá que está vivendo, seja este lugar um lindamontanha cheia de neve ou um misterioso e vivo oceanoonde você estivesse mergulhando.


Por que só nos preparamos para as viagens, e não para a vida, que é uma viagem?


No nosso dia-a-dia, há muitos momentos de beleza,e tínhamos de aprender a parar para vê-los, para apreciá-los.


Apreciar o amor profundo que alguém em um determinadomomento dirige a você. Apreciar um sorriso luminoso dealegria de alguém que você gosta.


Apreciar uma palavra amiga, que vem soar reconfortante,reanimadora. Apreciar a festividade, a alegria, a risada.


E quando estivéssemos voltando a ficar mal humorados,tristonhos, desanimados, revoltados, que pudéssemos noslembrar de novo se sermos girassóis.


Como quem dá um "estalo"' e acorda de um sonoequivocado. Porque é um equívoco passar dias sem vera beleza da vida.


E quando não vemos, veja que triste, deixamos de investirnela, de construí-la, também.


Lembre-se do seguinte há um vasto mundo para serenxergado, ouvido, sentido.


Selecione o melhor deste mundo, valorize tudo o que debonito e bom que haja nele e retenha isto dentro de você.


É este o segredo de quem consegue manter um alto graude vitalidade interna!

atire a primeira flor







Quando tudo for pedra. Atire a primeira flor!

Quando tudo parecer caminhar errado, seja o primeiro a tentar o certo.

Se tudo parecer escuro, e nada puder ser visto, acenda a primeira luz.

Traga para a treva você primeiro a pequena lâmpada.

Quando todos estiverem chorando, tente o primeiro sorriso.

Talvez não na forma de lábios sorridentes, mas de um coração que compreenda, ebraços que confortem.

Se a vida inteira for um imenso "não".

Não pare na busca do primeiro sim, ao qual tudo de positivo deverá seguir-se.

Quando ninguém souber coisa alguma e você souber um pouquinho, seja oprimeiro a ensinar.

Começando por aprender mesmo, corrigindo-se a si mesmo.

Quando alguém estiver angustiado, a procura nem sabendo o que,consulte bem o que se passa.

Talvez seja em busca de você mesmo.

Daí, portanto, você deve ser o primeiro a aparecer, e mostrar quepode ser o único e mais sério ainda talvez o último.

Quando a terra estiver seca que sua mão seja a primeira a regá-la.

Quando a flor se sufocar na urze e no espinho, que sua mão seja aprimeira a separar o joio, arrancar a praga, afagar a pétala,acariciar a flor.

Se a porta estiver fechada, que de você tenha a primeira chave.

Se o vento sopra frio, que o calor de sua lareira seja a primeiraproteção e abrigo.

Se o pão for apenas massa e não estiver cozido, seja o primeiro fornoa transformá-lo em alimento.

Não atire a primeira pedra em quem erra.

De acusadores o mundo esta cheio.

Nem por outro lado, aplauda o erro,dentro em pouco a ovação será ensurdecedora.

Ofereça sua mão primeiro para levantar quem caiu.

De sua atenção primeiro para aquele que foi esquecido, seja você oprimeiro para aquele que não tem ninguém.

Quando tudo for espinho atire a primeira flor, seja o primeiro amostrar que há caminho de volta.

Compreendendo que o perdão regenera, que a compreensão edifica, que oauxilio possibilita e que o entendimento reconstrói.

Atire você!

Quando tudo for pedra, a primeira e decisiva flor.

Uma linda idéia




Recebi esta mensagem tão tocante da minha querida amiga Du Carmo, de Goiânia.



Um dia, uma professora pediu aos seus alunos que fizessem uma lista dos nomes dos outros estudantes numa folha de papel, deixando algum espaço debaixo de cada nome.


Depois pediu-lhes que pensassem na coisa mais bonita que poderiam dizer a todos os colegas e escrevessem-na.


A professora utilizou o resto da aula para terminar o trabalho, mas na saída todos os estudantes entregaram as folhas.


Naquele sábado a professora escreveu o nome de cada aluno numa folha separada, e acrescentou à lista tudo que os outros tinham dito sobre cada um.


Na segunda-feira seguinte deu a cada estudante a lista com seus nomes.Logo após, a classe inteira estava sorrindo.


"Verdade?" cochichavam.


"Eu não sabia que era tão importante para alguém! E não pensei que eu agradasse tanto aos outros“.


Eram as frases mais pronunciadas.


Ninguém falou mais daquelas folhas na classe e a professora não soube se os meninos tinham discutido esta lição com os pais, mas não tinha importância: o exercício tinha alcançado o seu objetivo.


Os estudantes estavam contentes com eles mesmos, e tornaram-se cada vez mais unidos.


Muitos anos depois, um dos estudantes foi morto no Vietnan e a sua professora participou do funeral.


Nunca tinha visto um soldado no caixão antes daquele momento: parecia tão bonito e tão maduro...


A Igreja estava cheia de amigos do soldado.


Todos os amigos que o amaram aproximaram-se do caixão, e a professora foi a última a despedir-se do cadáver.


Um dos soldados presentes perguntou-lhe


"A senhora era a professora de matemática de Mark"?


Ela acenou com a cabeça, depois que ele contou que o "Mark falava muito dela"


Depois do funeral, muitos dos ex-colegas da classe de Mark foram juntos refrescar a cabeça.


Os pais de Mark estavam lá, esperando obviamente para falar com a sua professora.


"Queremos mostrar-lhe uma coisa", disse o pai, tirando uma carteira do bolso.


"Acharam na jaqueta do Mark quando foi morto. Nós pensamos que poderia reconhecer isso"


Abrindo a carteira, tirou co atenção dois pedaços de papel que tinham sido obviamente dobrados, abertos e reabertos muitas vezes.


A professora soube ainda antes de olhar que aquelas folhas de papel eram aquelas nos quais os colegas de classe de Mark tinham escrito todos os elogios.


"Muito Obrigado por ter feito isso", disse a mãe de Mark. "Como pode ver, o Mark preservou-o como um tesouro"


Todos os ex-colegas de Mark começaram a aproximar-se.


Charlie sorriu timidamente e disse "eu ainda tenho a minha lista. E na primeira gaveta de minha escrivaninha em casa".


A esposa de Chuck disse que o marido tinha-lhe pedido que pusesse no álbum de seu casamento e Marilyn acrescentou que o seu foi preservado no seu diário.


Vicki, outra companheira, abriu a agenda e tirou a sua lista um pouco estragada, mostrando-a ao grupo. Trago–a sempre comigo e penso que todos nós a temos guardada


" Naquele momento a professora sentou-se e chorou. Chorou por Mark e por todos os seus amigos que não o veriam mais.


Há tantas pessoas no mundo que por vezes esquecemo-nos que a vida um dia acabará, e não sabemos quando isso acontecerá.


Fale para as pessoas que ama, que são especiais e importantes para si.


Fale isso antes que seja muito tarde.


Lembre-se, "quem planta, colhe. Aquilo que você puser na vida dos outros, voltará para você. "

domingo, 21 de outubro de 2007

Dê o seu melhor


Dê sempre o melhor e o MELHOR virá.


As pessoas são irracionais, ilógicas e egocêntricas.


Ame-as MESMO ASSIM.


Se você tem sucesso em suas realizações, ganhará falsos amigos e verdadeiros inimigos.


Tenha sucesso MESMO ASSIM.


O bem que você faz será esquecido amanhã.


Faça o bem MESMO ASSIM.


A honestidade e a franqueza o tornam vulnerável.


Seja honesto MESMO ASSIM.


Aquilo que você levou anos para construir, pode ser destruído de um dia para o outro.


Construa MESMO ASSIM.


Os pobres têm verdadeiramente necessidade de ajuda, mas alguns deles podem atacá-lo se você os ajudar. Incluindo os pobres de espírito.


Ajude-os MESMO ASSIM.


Se você der ao mundo e aos outros o melhor de si mesmo,você corre o risco de se machucar.


Dê o que você tem de melhor MESMO ASSIM.


Dê Sempre o MELHOR.


E o MELHOR virá.



(Madre Teresa)

sábado, 20 de outubro de 2007

A teia da aranha


Uma vez um homem estava sendo perseguido por vários malfeitores que queriam matá-lo.


O homem, correndo, virou em um atalho que saía da estrada e entrava pelo meio do mato e, no desespero, elevou uma oração a DEUS da seguinte maneira:


- Deus Todo Poderoso fazei com que anjos venham do céu e tapem a entrada da trilha para que os bandidos não me matem!!!


Nesse momento escutou que os homens se aproximavam da trilha onde ele se escondia e viu que na entrada da trilha apareceu uma minúscula aranha.


A aranha começou a tecer uma teia na entrada da trilha.


O homem se pôs a fazer outra oração cada vez mais angustiado:


- Senhor, eu vos pedi anjos, não uma aranha.


Senhor, por favor, com tua mão poderosa coloca um muro forte na entrada desta trilha, para que os homens não possam entrar e me matar...


Então ele abriu os olhos esperando ver um muro tapando a entrada e viu apenas a aranha tecendo a teia.


Os malfeitores estavam entrando na trilha, na qual ele se encontrava, e ele estava esperando apenas a morte.


Quando passaram em frente da trilha o homem escutou:


- Vamos entrar por esta trilha.


- Não, não está vendo que tem até teia de aranha? Nada entrou por aqui. Continuemos procurando nas próximas trilhas.


Fé é crer no que não se vê, é perseverar diante do impossível.


Às vezes pedimos muros para estarmos seguros, mas Deus pede que tenhamos confiança nEle para deixar que Sua Glória se manifeste e faça algo como uma teia, que nos dá a mesma proteção de uma muralha.


Nunca desanime em meio às lutas, siga em frente, pois Deus disse:


“Diga ao fraco que Eu sou forte”.


São nos momentos mais difíceis que encontramos em Deus a nossa força.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Dança dos Anjos




Uma noite olhei para o céu e vi as estrelas a brilhar.


Mas tinham um brilho triste...


Nessa altura, surge um anjo vindo de uma constelação.


Esse anjo chorava.


Perguntei-lhe a razão e ele disse-me que protegia alguém que nem olhava para o céu...


Olhei melhor e reparei em milhões de anjos que lá se encontravam.


Todos tão lindos...


Tão mágicos...


Tão misteriosamente frágeis...


Todos com cabelos de prata, olhos de safira e asas de cristal...


Majestosos, imponentes,mas doces, meigos e carentes.


Os seus olhares penetrantes penetraram minha alma,percorreram meu corpo,elevaram a minha mente.


Lindos... Eles estavam lindos...Mas sós...


Eles estavam tão sós...


O que fazer para dar um pouco de felicidadea seres tão especias,que pareciam ter toda a felicidade existente?


Um olhar, um sorriso, um aceno, um obrigado...


Só isso?! Perguntei.


Sim, é o que é preciso para que os anjos dancem e voltem a viver e brilhar no seu explendor...


Nessa altura sorri, olhei, acenei, agradecie vi a festa dos anjos nas estrelas...


Um baile de magia em tons de prata...


Dancei com todos os anjos...


A partir dessa noite,olho para o céu e procuro os anjos...


Anjos... Almas lindas,meigas, suaves e deliciosamente puras...


Anjos... Aqueles olhares sorridentes de quem apenas quer um carinho...


Anjos...


Aqueles que temos no céu e na terra...


Anjos...


Amigos...Esses seres que estão sempre por perto...


Anjos... Belos anjos...

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Tudo depende de mim


Uma reflexão para as pessoas que vivem reclamando de tudo, que fazem parecer que seus problemas são os maiores do mundo ...que não acreditam em si e muito menos têm fé em Deus.


Pensamos demasiadamente, sentimos muito pouco.
Necessitamos mais de humildade que de máquinas.
Mais de bondade e ternura que de inteligência.
Sem isso, a vida se tornará violenta e tudo se perderá.



"Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marquemeia noite.


É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.


Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.


Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.


Posso reclamar de minha saúde ou dar graças por estar vivo.


Posso me queixar aos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.


Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.


Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus por ter umteto para morar.


Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade defazer novas amizades.


Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje pararecomeçar.


O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser.E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma.


Tudo depende só de (Deus) e de mim"


(Sir Charles Chaplin)

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Sem Julgamentos


Para grande reflexão


"Quem julga as pessoas não tem tempo para amá-las."( Madre Teresa de Calcutá )


"Quem és tu que queres julgar, com vista que só alcança um palmo, coisas que estão a mil milhas?"( Dante Alighieri )



"Para bem julgar não basta sempre ver, é necessário olhar; nem basta ouvir, é conveniente escutar. "( Marquês de Maricá )



"Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias. Díficil é encontrar e refletir sobre seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado. E é assim que perdemos pessoas especiais."( Carlos Drummond de Andrade )



"Não julgueis para não serdes julgados. Pois com o julgamento com que julgais sereis julgados, e com a medida com que medis sereis medidos."( Jesus Cristo )




Havia numa aldeia um velho muito pobre que possuía um lindo cavalo branco.


Numa manhã ele descobriu que o cavalo não estava na cocheira.


Os amigos disseram ao velho:


- Mas que desgraça, seu cavalo foi roubado!


E o velho respondeu:


- Calma, não cheguem a tanto.


Simplesmente diga que o cavalo não está mais na cocheira.


O resto é julgamento de vocês.


As pessoas riram do velho.


Quinze dias depois, de repente, o cavalo voltou.


Ele havia fugido para a floresta. E não apenas isso; ele trouxera uma dúzia de cavalos selvagens consigo.


Novamente as pessoas se reuniram e disseram:-


Velho, você tinha razão. Não era mesmo uma desgraça, e sim uma bênção.


E o velho disse:- Vocês estão se precipitando de novo.


Quem pode dizer se é uma bênção ou não? Apenas digam que o cavalo está de volta...


O velho tinha um único filho que começou a treinar os cavalos selvagens.


Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um dos cavalos e fraturou as pernas.


As pessoas se reuniram e, mais uma vez, se puseram a julgar:


- E não é que você tinha razão, velho? Foi uma desgraça seu único filho perder o uso das duas pernas.


E o velho disse:- Mas vocês estão obcecados por julgamentos, hein?


Não se adiantem tanto. Digam apenas que meu filho fraturou as pernas.


Ninguém sabe ainda se isso é uma desgraça ou uma bênção...


Aconteceu que, depois de algumas semanas, o país entrou em guerra e todos os jovens da aldeia foram obrigados a se alistar, menos o filho do velho.


E os que foram pra guerra, morreram...


Quem é obcecado por julgar, cai sempre na armadilha de basear seu julgamento em pequenos fragmentos de informação, o que o levará a conclusões precipitadas e consequentemente a erros que poderão ser irreversíveis para a vida.


Nunca encerre uma questão de forma definitiva, pois quando um caminho termina, outro começa, quando uma porta se fecha outra se abre....

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Que eu permita


Outro texto lindo que recebi de minha amigona Yara a quem faço uma homenagem colocando a foto da mineirinha dos zóios verde,


Que eu me permita olhar e escutar e sonhar mais.

Falar menos.


Chorar menos.

Ver nos olhos de quem me vê a admiração que eles me têm e não a inveja que prepotentemente penso que têm.

Escutar com meus ouvidos atentos e minha boca estática, as palavras que se fazem gestos e os gestos que se fazem palavras.

Permitir sempre escutar aquilo que não tenho me permitido escutar.

Saber realizar os sonhos que nascem dentro de mim
e por mim
e comigo morrem por eu não os saber sonhos.

Então, que eu possa viver os sonhos possíveis e os impossíveis;
aqueles que morrem e ressuscitam
a cada novo fruto,
a cada nova flor,
a cada novo calor,
a cada nova geada,
a cada novo dia.

Que eu possa sonhar o ar,
sonhar o mar,
sonhar o amar,
sonhar o amalgamar.

Que eu me permita o silêncio das formas,
Dos movimentos, do impossível, da imensidão de toda a profundeza.

Que eu possa substituir minhas palavras
Pelo toque,
Pelo sentir,
Pelo compreender,
Pelo segredo das coisas raras,
Pela oração mental (aquela que a alma cria e que só ela, alma, ouve, e só ela, alma, responde).

Que eu saiba dimensionar o calor,
Experimentar a forma,
Vislumbrar as curvas,
Desenhar as retas,
E aprender o sabor da exuberância
Que se mostra nas pequenas manifestações da vida.

Que eu saiba reproduzir na alma a imagem que entra pelos meus olhos fazendo-me parte suprema da natureza, criando-me e recriando-me a cada instante.

Que eu possa chorar menos de tristeza e mais de contentamentos.

Que meu choro não seja em vão. Que em vão não sejam minhas duvidas.

Que eu saiba perder meus caminhos, mas saiba recuperar meus destinos com dignidade.

Que eu não tenha medo de nada, principalmente de mim mesmo: - que eu não tenha medo de meus medos.

Que eu adormeça toda vez que for derramar lagrimas inúteis, e desperte com o coração cheio de esperanças...

Que eu faça de mim um homem sereno dentro de minha própria turbulência,
Sábio dentro de meus limites pequenos e inexatos,
Humilde diante de minhas grandezas tolas e ingênuas
(que eu me mostre o quanto são pequenas minhas grandezas e o quanto é valiosa minha pequenez).

Que eu me permita ser mãe, ser pai e, se for preciso, ser órfão.

Permita-me eu ensinar o pouco que sei e aprender o muito que não sei,
Traduzir o que os mestres ensinaram e compreender a alegria com que os simples traduzem suas experiências;

Respeitar incondicionalmente o ser, o ser por si só, por mais nada que possa ter alem de sua essência.

Auxiliar a solidão de quem chegou, render-me ao motivo de quem partiu e aceitar a saudade de quem ficou.

Que eu possa amar e ser amado. Que eu possa amar, mesmo sem ser amado.

Fazer gentilezas quando recebo carinhos, fazer carinhos mesmo quando não recebo gentilezas.

Que eu jamais fique só, mesmo quando eu me queira só.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Deus nunca erra


Mensagem enviada pela minha querida e saudosa amiga Neidinha lá de Olinda

Há muito tempo, num reino distante, havia um rei que não acreditava nos desígnios e na bondade de DEUS.


Tinha, porém, um súbdito que sempre lhe lembrava dessa verdade.


- Meu rei, não desanime... Tudo que DEUS faz é perfeito. ELE nunca erra.


Um dia, o rei saiu para caçar, juntamente com seu súbdito, e uma fera da floresta o atacou. O súdito conseguiu matar o animal, porém, não evitou que sua majestade perdesse o dedo mínimo da mão direita. O rei, furioso pelo que havia acontecido, e sem mostrar agradecimento por ter sua vida salva pelos esforços de seu servo, perguntou a este:


- E agora, o que você me diz ? DEUS é bom ? Se DEUS fosse bom eu não teria sido atacado e não teria perdido o meu dedo.


- Meu rei, apesar de todas essas coisas, somente posso dizer-lhe que DEUS é bom, e que mesmo isso, perder um dedo, é para o seu bem.


Tudo que DEUS faz é perfeito. ELE nunca erra.


O rei, indignado com a resposta do súbdito, mandou que o mesmo fosse preso na cela mais escura e fedida do calabouço.


Após algum tempo, o rei saiu novamente para caçar e aconteceu dele ser atacado, desta vez por uma tribo de índios que vivia na selva.


Esses índios eram temidos por todos, pois sabia-se que faziam sacrifícios humanos, para seus deuses. Mal prenderam o rei, passaram a preparar o ritual do sacrifício.


Quando já estava tudo pronto, e o rei já estava diante do altar, o sacerdote indígena, ao examinar a vítima, observou furioso:


- Este homem não pode ser sacrificado, é defeituoso !!! Falta-lhe um dedo !!! E o rei foi libertado.


Ao voltar para o palácio,muito alegre e aliviado, mandou libertar seu súbdito e pediu que o mesmo viesse em sua presença.


Ao ver o servo, abraçou-o afetuosamente dizendo-lhe:


- Meu caro, DEUS foi realmente bom comigo. Você já deve estar sabendo que escapei da morte justamente porque não tinha um dos dedos. Mas ainda tenho em meu coração uma grande dúvida:


» Se DEUS é tão bom, porque permitiu que você fosse preso da maneira como foi ? Logo você, que tanto o defendeu?


- Meu rei, se eu estivesse junto contigo nessa caçada, certamente seria sacrificado em teu lugar, pois não me falta dedo algum.


Portanto lembre-se sempre: tudo que DEUS faz é perfeito.


É assim que acontece na nossa vida. Deus coloca pessoas em nossos caminhos para que possamos aprender ou passar alguma lição e nos afasta destas mesmas pessoas quando elas podem nos causar algum mal maior.


Ficamos surpresos com a transformação, as atitudes destas pessoas, nos magoamos, nos decepcionamos...


Nestes momentos é comum pensar que Deus estava errado quando deixou que estes seres entrassem em nossas vidas , mas Deus nunca erra.
Alguma coisa aconteceu para que pudéssemos nos transformar em pessoas melhores.


Ele nunca erra. "Nunca diga a DEUS que você tem um grande problema, mas diga ao problema que você tem um grande DEUS ".


"Que o Senhor te abençoe e te guarde. Sobre ti levante Seu rosto e te dê a paz!"

domingo, 14 de outubro de 2007

Insatisfação


Quantas e quantas vezes nos sentimos a menor das criaturas?


Quantas e quantas vezes nos sentimos abandonados pelo Pai?


Quantas e quantas vezes nos sentimos menosprezados?


E por que toda essa nossa insatisfação?


O que gera esse desalento, esse desassossego?


É a nossa falta de fé!Fé em que estamos sempre amparados.


Fé em que Deus está sempre olhando por nós.


A única coisa que nos alimenta, nos satisfaz, é a riqueza, são os bens materiais que tanto e tanto prezamos.


Quando não temos os valores suficientes para que nos sintamos ricos, poderosos, onipotentes, nos sentimos infelizes, nos sentimos abandonados pela sorte, abandonados pelo destino, abandonados por Deus...


Como nos enganamos quando só pensamos em riquezas, em poder.


Esquecemo-nos de que quando formos embora da Terra não levaremos nada, nem dinheiro, nem carros, nem roupas, nem jóias.


As únicas "jóias" que levaremos serão aquelas que adquirirmos para o espírito; são aquelas que com o conhecimento, a prática da bondade, da fraternidade e do amor, serão incrustadas em nosso futuro espiritual.


Libertem-se da ganância, do orgulho, da prepotência.


Cultivem o mais que puderem os bons sentimentos, os bons pensamentos.


Estudem, procurem fazer com que o seu cabedal de conhecimentos aumente.


Não pensem que de nada lhes servirá. Servirá sim, e muito.


No futuro vocês se verão gratificados por todo o conhecimento adquirido.


Não esqueçam, este conhecimento fará parte de suas vidas seja ela onde for.


Libertem-se, sejam livres, sejam sensatos, adquiram sempre e sempre muitos conhecimentos e vocês se verão gratificados por todo o sempre.


Fiquem em paz.