quinta-feira, 30 de abril de 2009

Palavras e silêncio


Há algumas coisas que são lindas demais para serem descritas por palavras. É necessário admirá-las em silêncio e contemplação para apreciá-las em toda a sua plenitude.

É necessário tão poucas palavras para exprimir a sua essência. As grandes falas servem freqüentemente só para confundir ou doutrinar. O silêncio é freqüentemente mais esclarecedor que um fluxo de palavras. Olhe para uma mãe diante do seu filho no berço. Ele consegue muito bem tudo o que quer sem dizer nenhuma palavra.

Na realidade, as palavras devem ser a embalagem dos pensamentos. Não adianta fazer discursos muito longos para expressar os sentimentos de seu coração. Um olhar diz muito mais que um jorro de palavras.

Creio que, em sua grande sabedoria, a natureza nos deu apenas uma língua e dois ouvidos para que escutemos mais e façamos menos discursos longos.

Se um texto não é mais bonito do que o silêncio, então é preferível não dizer nada .Esta é uma grande verdade sobre a qual os grandes dirigentes deste mundo deveriam meditar. Quanto mais o coração é grande e generoso menos palavras se tornam úteis...

É necessário se lembrar do provérbio dos filósofos: as verdadeiras palavras não são sempre bonitas, mas as palavras bonitas nem sempre são verdades

É características das grandes mentes fazer com que em poucas palavras muitas coisas sejam ouvidas . As mentes pequenas acham que têm, pelo contrário, a concessão para falar e não dizer nada. Falam bobagens, mas há aqueles que sabem o que escutar para colher.

Se poucas palavras são necessárias dizer" eu gosto de você", todas as outras que poderiam ser ditas são supérfluas...

Sim e não são as palavras mais curtas e fáceis de serem ditas mas são aquelas que trazem as mais pesadas conseqüências

São necessários apenas dois anos para que o ser humano aprenda a falar e toda uma vida para que ele aprenda a ficar em silêncio.

Ser comedido em suas palavras não é um defeito mas prova de profunda sabedoria.

Aquele que fala muito quase nunca tem sucesso para organizar as coisas .
Tende antes a confundir .



quarta-feira, 29 de abril de 2009

Se você...


Se você precisa de alguém para ser feliz, isso não é amor.
É carência.
Se você tem ciúme, insegurança e faz qualquer coisa para conservar alguém ao
seu lado, mesmo sabendo que não é amado, e ainda diz que confia nessa
pessoa, mas não nos outros, que lhe parecem todos rivais, isso não é amor.
É falta de amor próprio.
Se você acredita que "ruim com ela(e), pior sem ela (e)", e sua vida fica
vazia sem essa pessoa; não consegue se imaginar sozinho e mantém um
relacionamento que já acabou só porque não tem vida própria - existe em
função do outro - isso não é amor.
É dependência.
Se você acha que o ser amado lhe pertence; sente-se dono (a) e senhor(a)de
sua vida e de seu corpo; não lhe dá o direito de se expressar, de ter
escolhas, só para afirmar seu domínio, isso não é amor.
É egoísmo.
Se você não sente desejo; não se realiza sexualmente; prefere nem ter
relações sexuais com essa pessoa, porém sente algum prazer em estar ao lado
dela, isso não é amor.
É amizade.
Se vocês discutem por qualquer motivo; morrem de ciúmes um do outro e brigam
por qualquer coisa; nem sempre fazem os mesmos planos; discordam em diversas
situações; não gostam de fazer as mesmas coisas ou ir aos mesmos lugares,
mas sexualmente combinam perfeitamente, isso não é amor.
É desejo.
Se seu coração palpita mais forte; o suor torna-se intenso; sua temperatura
sobe e desce vertiginosamente, apenas em pensar na outra pessoa, isso não é
amor.
É paixão.
Agora, sabendo o que não é amor, fica mais fácil analisar, verificar o que
está acontecendo e procurar resolver a situação. Ou se programar para atrair
alguém por quem sinta carinho e desejo; que sinta o mesmo por você, para que
possam construir um relacionamento equilibrado no qual haja, aí sim, o
verdadeiro e eterno amor.



terça-feira, 28 de abril de 2009

Bom dia felicidade



Todos os dias, damos um passo sempre à frente.

Todos os dias, caminhamos um pouco mais na direção do nosso eldorado de sucesso.

Todos os dias, passo a passo, construímos um mundo novo.



Se olharmos para trás, veremos que deixamos marcas profundas nesta linda caminhada em busca da felicidade.



Estas marcas são na verdade uma conquista após a outra, que juntas, se agregam na idéia de que, para superarmos os obstáculos da vida, precisamos colocar na nossa mente um ponto de chegada, uma meta real ou um objetivo bem concreto.



Devemos seguir em frente o tempo todo, sem termos medo do futuro que nos espera de braços abertos e com um largo sorriso, destinado às pessoas que acreditam que vencer nesta vida é muito mais que um sonho...



É uma verdade!

Desejo que a sua semana seja feita de muitas vitórias!


Pense nisso:

“A VERDADEIRA GLÓRIA NÃO CONSISTE EM RECEBER AS HONRAS, MAS EM MERECÊ-LAS.”




segunda-feira, 27 de abril de 2009

Para ser humano


Quando nascemos,

não ganhamos um manual do proprietário

ou mapa para estudarmos!


As diretrizes a seguir,

ajudam você a ter uma melhor compreensão de tudo,

para que você tenha mais qualidade de vida.



Você recebeu um corpo

para se manifestar na vida.


Você pode gostar dele ou odiá-lo,

mas é a única coisa

que certamente você manterá até o fim

desta experiência de vida.



É certo que aprenderá lições.

Você está matriculado em uma escola informal,

em tempo integral,

chamada VIDA NO PLANETA TERRA!


Cada pessoa que cruzar o seu caminho,

pode ser considerada seu Professor Universal,

pelas lições de vida que aprenderá.



Não há erros, apenas lições.

O crescimento é um processo de experimentação.


Os fracassos são tanto parte

do processo de ensino

quanto os êxitos.



As lições são repetidas

até que sejam aprendidas.


São apresentadas a você de várias formas,

até que você as aprenda!

Se aprendeu, pode seguir para a próxima lição.



Se você não aprende lições fáceis,

elas tornam-se mais duras.

Problemas externos são um reflexo preciso

de seu estado interno.


Quando você clareia as obstruções interiores,

seu mundo exterior muda.


A dor é o meio pelo qual os professores universais

conseguem a sua atenção.



Você saberá que aprendeu uma lição,

quando suas ações mudarem.


A sabedoria vem com a prática.


Um pouco de algo

é melhor do que muito de nada.



Não existe lugar melhor

do que o AQUI.


Quando seu desejo LÁ tornar-se um AQUI,

você simplesmente obterá

um outro LÁ para desejar,

que outra vez parecerá melhor

que o AQUI e AGORA.



Os outros são apenas espelhos de você mesmo.


Você não pode amar

nem pode odiar algo sobre os outros

a menos que isso reflita

em algo que você ama

ou odeia em si mesmo.



Sua vida pertence a você.

A vida fornece a tela;

faça você a pintura.


Tome conta de sua vida,

ou outra pessoa o fará.



Você sempre receberá o que você quer, ou o que teme.

Seu subconsciente legitimamente determinará

que energias, experiências, e pessoas você atrairá!


Portanto, o único meio infalível

para saber o que você quer ou teme

é ver o que você tem.


Nesta escola não existem vítimas.

Todos são estudantes das Leis Universais.



Não há certo ou errado,

mas sim, consequências.


Moralizar não ajuda.

Julgar só o prenderá a padrões.

Procure fazer o melhor de si.



Suas respostas estão dentro de você.


Quando somos crianças,

necessitamos de direção de outros.


Quando amadurecemos,

precisamos aprender a confiar em nossos corações,

onde as Leis do Espírito Santo estão escritas.



Você sabe mais do que ouviu, leu ou lhe contaram.

Tudo o que você necessita fazer

é olhar, escutar e confiar.


Você provavelmente esquecerá tudo isso.

Mas, se memorizou a lição, você poderá lembrar-se,

a qualquer momento que desejar e precisar.






domingo, 26 de abril de 2009

Anjos do destino




Você Já parou para pensar quem são seus Anjos do Destino.

Talvez você pense em todas as pessoas que te causam bem.

Seus Pais, Filhos, esposo(a) Amigos(as).


Os Anjos do Destino são pessoas que provocam uma ação que muda o resto de nossas vidas.


Você parou para pensar Naquela professora que te pegou colando na prova bimestral. Além da nota zero que ela te deu, passou o maior vexame perante os colegas. Desde dia em diante você fez uma promessa a si mesmo, nunca mais iria colar. Hoje você é um profissional de sucesso com esta decisão.


Lembra aquela namorada(o) que ao encontrar com seu ex- paquera você sentiu forte crise de ciúmes e rompeu o namoro, nunca mais se encontraram novamente, este ex-paquera provocou uma ação em sua vida. Hoje talvez você não teria os mesmos filhos a mesma esposa(o) ou por causa disto nem mais casou. Este anjo de seu destino mudou seu modo de vida e você seguiu aquilo que esta traçado para você


Talvez você não queira aceitar, mas aquele colega de trabalho que te apunhalou pelas costa, entregou sua cabeça servida em uma bandeja ao chefe. Você perdeu o emprego, ficou meses sem trabalho, fez cursos, aperfeiçoou seus conhecimentos. Hoje em outro trabalho tem sucesso e prestigio que nunca teria naquele emprego. Causando até inveja para aquela pessoa.


Já esta na hora de sair, esta atrasado para a viagem de avião, chegou o mala do vendedor, até explicar o fato, você perdeu o seu vôo. Horas depois recebe a notícia “todos os passageiros daquele avião” não sobreviveram do trágico acidente, aí você agradece ao mala a sua vida. Este anjo de seu destino foi mandado para você na hora certa. E os outros não teriam direito? É que talvez nem todos os anjos foram tão eficientes quanto aquele.


Muitas vezes nossos anjos do destino são obrigados a nos dar um remédio ruim, mas que tem o poder de nos curar pelo resto de nossas vidas e nos colocar no rumo de nosso destino...


E agora percebe quem são os teus anjos do destino? São pessoas que por uma razão entram em nossa vida e provocam uma ação que dura pelo resto de nossos dias.


Nada acontece por acaso


Deus abençoe



-

sábado, 25 de abril de 2009

Acorde para vencer


Reuna forças para vencer os obstáculos.

Não deixe que nada afete seu espírito.

Envolva-se pela música, cante e ouça.

Comece a sorrir mais cedo.

Ao invés de reclamar quando o relógio despertar, agradeça pela oportunidade de acordar mais um dia.

O bom humor é contagiante espalhe-o, fale de coisas boas, de saúde de sonhos, de amor.

Não se lamente!!!

Ajude as outras pessoas a perceberem o que há de bom dentro de si.

Não viva emoções mornas ou vazias.

Cultive seu interior, extraia o máximo de pequenas coisas.

Seja transparente e deixe que as pessoas saibam que você as estima e precisa delas.

Repense os valores e dê a chance de crescer e ser mais feliz.

Tudo que merece ser feito, merece ser bem feito.

Torne suas obrigações atraentes, tenha garra e determinação.

Mude, opine, ame o que faz.

Não trabalhe só por dinheiro e sim pela satisfação da missão cumprida.

Lembre-se de que nem todos têm a mesma oportunidade.

Pense no melhor, trabalhe pelo melhor e espere o melhor.

Transforme seus movimentos em oportunidades.

Veja o lado positivo das coisas e assim tornará seu otimismo uma realidade.

Não inveje.

Admire!!!

Sinta entusiasmo com o sucesso alheio, como seria com o seu próprio.

Idealize um modelo de competência e faça sua auto avaliação para saber o que lhe está faltando para chegar lá.

Ocupe seu tempo crescendo, desenvolvendo suas habilidades e seu talento.

Só assim não terá tempo de criticar os outros.

Não acumule fracassos e sim experiências .

Tire proveito dos seus problemas e não se deixe abater por eles.

Tenha fé e energia, acredite!!!

Você pode tudo que quiser.

Perdoe!!

Seja grande para os aborrecimentos,

pobre para a raiva, forte para vencer o medo e FELIZ para permitir momentos felizes.

Não viva só para o trabalho.

Tenha outras atividades paralelas como esportes, leituras, cultivar amigos.

O trabalho é uma das contribuições que damos à vida, mas não se deve jogar nele todas as nossas expectativas de realizações.

Finalmente, ria das coisas à sua volta, de seus problemas, de seus erros, ria da vida. E... ame! Antes de tudo, a você mesmo!


A GENTE COMEÇA A SER FELIZ QUANDO É CAPAZ DE RIR DA GENTE MESMO!!!




sexta-feira, 24 de abril de 2009

A ilusão




A ilusão é como aquele presente que chega enrolado num papel bem bonito, às vezes tanto que nem queremos abrir por medo, talvez, justamente de saber o que vem dentro.

Não buscamos ser enganados cientemente, mais inconscientemente desejamos que tudo o que é feio, mal, que faz mal, que decepciona, que fere fique em algum lugar longe do nosso alcance. Fechamos então os olhos a certas coisas e preferimos viver na ilusão de que tudo vai bem. Quantas pessoas não vivem assim a vida inteira de olhos fechados?

O mundo não é um campo florido sem espinhos e em muitas ocasiões, particularmente ante o desconhecido, precisamos abrir nós mesmos o caminho para uma vida plena. E o que é uma vida plena? É a vida cheia da maturidade e do conhecimento do bem e do mal e a faculdade de poder fazer uma escolha.

O desconhecimento do mal não diminui nosso sofrimento, apenas encobre-o e dá-nos a ilusão de que tudo vai bem. É como estar doente e preferir ignorar, o tratamento não vem e menos ainda a cura ou a possibilidade dela.

Pessoas mentem-se porque não têm coragem o bastante para encarar a realidade, enfrentá-la e passar por cima dela. Muitos vivem de falsas felicidades, máscaras que preferem colocar diante dos outros e que somente nos momentos mais profundos de se estar consigo mesmos é que tiram e não podem impedir que as lágrimas corram. Nessas horas são verdadeiras, feridas certamente, mas vivas e reais.

É a maneira de encarar o mundo que diferencia os que chamamos de fracos e fortes. Os primeiros mentem-se e seguem assim e os segundos abrem essa embalagem bonita, decepcionam-se com o que encontram e se dizem que ainda assim construirão alguma coisa...

porque viver é experimentar a vida nos seus pormenores, provar do doce e do amargo e ter no coração a certeza de que as verdades, mesmo doloridas, nos tornam mais fortes e nos condicionam a buscar o que há de melhor em nós.

Letícia Thompson




quinta-feira, 23 de abril de 2009

Aniversário da mamãe



Meu amor por você mãe, não tem comparações!
Meu coração te guarda com todo carinho!
Você está para a minha vida, como o sol está para as flores...
Como a liberdade de voar está para os pássaros...
E como a luz está para as estrelas...
Seu coração é fonte de bondade, de carinho, compreensão e de amor perfeito, que só as mãos de Deus podem abençoar!
Todos os dias nascem em sua homenagem mãe!
Mas este dia, marca a sua linda história de vida: é o seu aniversário!
E isto me faz uma filha muito feliz!
Abraço-te mãe, com o mesmo entusiasmo de todos os abraços que já te dei.
Beijo a tua face com a mesma emoção que sinto em cada beijo que te dou.
E te homenageio com o mesmo entusiasmo que me invade,
quando estou perto de você, mãe!!
PARABÉNS MÃE, PELO SEU ANIVERSÁRIO!
Deus desenhou este dia, especialmente para você!
Quero te ver sorrindo, e com a certeza, de que muitas pessoas te admiram, te aplaudem e te querem muito bem.
Além de ser minha mãe querida, você é a amiga de todos os momentos.
É a mulher de fibra, que enfrenta dificuldades, vence obstáculos, e nunca perde a serenidade!Mãe, te desejo um feliz aniversário!
Um beijo, desta filha que te ama muito!
"Toma as minhas mãos, mamãe querida, e sinta a mesma proteção que você me dava na infância...
Receba o meu beijo hoje, pois te beijo ainda criança!
Se precisares, senta no meu colo, pois também sei te ninar!..."

Parabéns Da. Constança pelos seus 91 anos!







quarta-feira, 22 de abril de 2009

Falando sobre o medo


Por que temos medo?
Medo possui uma característica ambígua. Ora nos protege quando estamos em meio ou à frente de um perigo real, ora nos afasta de conquistas pelo receio de tomarmos algumas ações: seja por uma experiência passada, seja por ainda não termos vivenciado a situação...
Então, o medo é benéfico ou não?
Na maioria das vezes não. Embora ele seja um vital sinalizador que visa nosso bem estar físico, emocional e espiritual, constantemente ele se mostra desajustado.
Um exemplo? Utilizemos mais de um:
Quando crianças, dependendo do estilo de nossos pais conduzirem nossa criação, ouvimos muitas vezes um "não faça isso" "não faça aquilo" com base nos "medos" que carregavam consigo, seja por uma experiência pessoal deles, seja por um excesso de zelo, etc. Se demos a devida atenção às suas exortações, com certeza vimos, ao longo dos anos, colegas nossos fazerem, com habilidade, coisas que achávamos ser impossíveis ou "muito perigosas". Desde se equilibrar num muro a andar de bicicleta, andar de patins a brincar na chuva, empinar pipa a jogar bola ou simplesmente brincar na rua. Sobre este último item, use de sinceridade: quantas crianças atropeladas você já viu? Com certeza, mesmo que tenha visto, a porcentagem é mínima e não suficiente para associarmos que brincar na rua é muito perigoso. Agora, converse com quem brincava, ou lembre-se de quando brincava... certamente verá boas lembranças desta época...
Seguindo os mesmos exemplo acima citados, podemos ter alimentado também medos por termos vistos algo ou alguém se machucar em cima de uma das situações acima. Por exemplo, ao termos visto um parente próximo ou um amigo se acidentar com sua bicicleta, podemos ter criado uma aversão à bicicleta, evitando-a. Entretanto, dificilmente analisamos o porquê do acidente, os motivos que conduziram para tal... Simplesmente associamos a bicicleta ao acidente. E não vemos se houve alguma imprudência, alguma falta de manutenção ou outro motivo para que o acidente viesse a ocorrer.
Os dois exemplos utilizados acima podem ser conduzidos e adaptados a diversas situações e a diversos setores de nossas vidas ao longo dos anos. Deixemos que sua reflexão interior permita maior abrangência.
Percebe então que o medo pode se mostrar um indicador ineficiente ou até desnecessário em vários momentos?
Isso mesmo. Se o medo, ou a sensação de, pode nos proteger, igualmente pode nos impedir de alcançar muitas experiências maravilhosas e inesquecíveis.
Dose o teu medo. Se buscas a sabedoria, o entendimento, a perspicácia e tua evolução, por que não ousar? Por que não vencer alguns de seus medos e deixar-se levar? Verá que para muitas coisas, vale muito a pena...
Obviamente, não tratamos aqui de medos de origem patológica (as fobias), mas ainda assim, embora na maioria dos casos necessitem de uma orientação médica para sua extinção, os mesmos poderão ser amenizados por você: creia, você pode eliminar teus medos!
Não limite teus movimentos, não talhe tuas ações, não obstrua o teu caminho. Vamos, ouse e viva uma vida mais satisfatória! Viva cada segundo como se fosse o teu último! Aproveite, responsavelmente, mas com bastante ousadia e alegria o teu maior presente: a tua vida!


terça-feira, 21 de abril de 2009

O contrário do amor









O CONTRÁRIO DE BONITO É FEIO, DE RICO É POBRE, DE PRETO É BRANCO, ISSO SE APRENDE ANTES DE ENTRAR NA ESCOLA.

SE VOCÊ FIZER UMA ENQUETE ENTRE AS CRIANÇAS, OUVIRÁ TAMBÉM QUE O CONTRÁRIO DO AMOR É O ÓDIO.

ELAS ESTÃO ERRADAS. FAÇA UMA ENQUETE ENTRE ADULTOS E DESCUBRA A RESPOSTA CERTA: O CONTRÁRIO DO AMOR NÃO É O ÓDIO, É A INDIFERENÇA.

O QUE SERIA PREFERÍVEL? QUE A PESSOA QUE VOCÊ AMA PASSASSE A LHE ODIAR, OU QUE LHE FOSSE TOTALMENTE INDIFERENTE?


QUE PERDESSE O SONO IMAGINANDO MANEIRAS DE FAZER VOCÊ SE DAR MAL OU QUE DORMISSE FEITO UM ANJO A NOITE INTEIRA, ESQUECIDO POR COMPLETO DA SUA EXISTÊNCIA?

O ÓDIO É TAMBÉM UMA MANEIRA DE SE ESTAR COM ALGUÉM.
PARA ODIAR ALGUÉM, PRECISAMOS RECONHECER QUE ESSE ALGUÉM EXISTE E QUE NOS PROVOCA SENSAÇÕES, POR PIORES QUE SEJAM.

PARA ODIAR ALGUÉM GASTAMOS ENERGIA, NEURÔNIOS E TEMPO.
JÁ PARA SERMOS INDIFERENTES A ALGUÉM, PRECISAMOS DO QUÊ? DE COISA ALGUMA.

A PESSOA EM QUESTÃO PODE SALTAR DE BUNG-JUMP, ASSISTIR AULA DE FRAQUE, GANHAR UM OSCAR OU UMA PRISÃO PERPÉTUA....
NÃO ESTAMOS NEM AÍ.

A INDIFERENÇA, SE TIVESSE UMA COR, SERIA COR DA ÁGUA, COR DO AR, COR DE NADA.

UMA CRIANÇA NUNCA EXPERIMENTOU ESSA SENSAÇÃO: OU ELA É MUITO AMADA, OU CRITICADA PELO QUE APRONTA.

SÓ BEM MAIS TARDE, QUANDO NECESSITAR DE UMA ATENÇÃO QUE NÃO SEJA MATERNA OU PATERNA, É QUE DESCOBRIRÁ QUE O AMOR E O ÓDIO HABITAM O MESMO UNIVERSO, ENQUANTO QUE A INDIFERENÇA É UM EXÍLIO NO DESERTO.

MARTHA MEDEIROS

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Por que as pessoas gritam?





Um dia, um pensador fez a seguinte pergunta a seus discípulos:
"Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?"
"Gritamos porque perdemos a calma", disse um deles.

"Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?", questionou novamente o pensador.
"Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça", retrucou outro discípulo.

E o mestre volta a perguntar: "Então, não é possível falar-lhe em voz baixa?"

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.
Então, ele esclareceu: "Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido?"

O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância.
Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas?
Elas não gritam. Falam suavemente. E, por quê? Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena. Às vezes, estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram. E, quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta. Seus corações se entendem. É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.

Por fim, o pensador conclui, dizendo:
"Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta".


domingo, 19 de abril de 2009

O porquê da dor


A dor ou o sofrimento não vem por acaso.
É um indicador, na maioria das vezes aparentemente desnecessário, mas tem sua função.
Dói quando não damos a atenção devida.
Quando não tomamos o cuidado necessário.
Sentimos dor para nos atentarmos a algo, a alguém.
Sentimos dor para olharmos para nós mesmos.
DEUS não nos fez para sentirmos dor.
Fez a dor para sentirmos DEUS.
Como assim?
Vamos relembrar alguns fatos de nossas vidas:
Nossa mãe uma vez nos disse:
"Cuidado para não pisar aí, pois está escorregadio!",
"Preste atenção por onde anda!".
E quantas vezes, desobedecendo a sua voz, fizemos exatamente ao contrário e nos machucamos?
E pensávamos, voltando nossa atenção à nossa mãe:
"Bem que minha mãe falou.."
Ou ainda quando, afoitos e deslumbrados com uma linda flor ao meio do jardim, sem pestanejar, a pegamos querendo arrancá-la e acabamos com um furo no dedo e sangue escorrendo em função de um espinho.
Sem contar as vezes que prensamos um dedo, batemos o dedinho do pé em uma quina, simplesmente porque não estávamos prestando a devida atenção ao que fazíamos.
Vamos falar de outra dor? A dor no coração dos apaixonados...
Depois que ocorre uma discussão, vem aquela dor.
Nessa dor, começamos a ver o quanto a pessoa nos é importante, o quanto nos faz falta, que não deveríamos ter falado isso, feito aquilo...
Pois bem, somos responsáveis pela maioria de nossas dores, pela maioria de nossos sofrimentos.
Agora, como eliminá-los?
Sendo ouvintes atentos dos conselhos do SOBERANO SENHOR e praticantes assíduos de SUAS instruções.
Comece desde já a recapitular o porquê está sentindo esta dor.
Ao encontrar a sua origem, veja se já não recebeu há tempos um conselho direcionado pelo ALTÍSSIMO que poderia ter evitado essa dor.
Sim, a dor vem quando queremos viver por si só.
Dando os créditos e comandos aos nossos passos.
Não deixando ELE nos guiar, nos guiar através de suas sábias palavras, sábias admoestações.
Acontece que quando fazemos isso, andamos "mancos" e a chance de cair é grande.
Andamos mancos, pois fomos feitos para ser 50% carne, 50% Espírito.
Sem ELE, tornamo-nos extremamente falhos.
A dor vem para reconhecermos tal condição.
Por sua vez, se a dor tem se feito escassa e o sofrimento quase não lhe atinge, é porque encontrou o "perfeito equilíbrio", a forma de conduzir a tua vida segundo os padrões divinos e universais.
Pense nisso.
Não sofra mais.



sábado, 18 de abril de 2009

Não desista



Quando tudo não der mais certo

e você já tentou todas as alternativas,

não te desespere. Deus proverá uma solução.


ELE É UM DEUS FIEL E TE GUARDARÁ DE TODO O MAL!



Momentos ruins não são eternos!

São como tempestades, só duram por algum momento!

Olhe para trás e veja quantas coisas piores

você já passou e superou!

Algumas vezes as tribulações acontecem

em nossa vida para nos amadurecer.


Portanto ANIME-SE.



Quando estiveres triste,

olhe para o céu e veja o quão grande é!

Se Deus foi capaz de criar o céu,

imagine resolver os seus problemas...

que são tão pequenos perto de tão grandiosa obra

que é o céu...


SEUS PROBLEMAS NÃO SÃO

MAIORES DO QUE DEUS!



Faça como os triatletas nas Olimpíadas,

mesmo não conseguindo chegar em primeiro lugar,

lutam para chegar até o fim!

Portanto não desista dos seus ideais!


LUTE ATÉ O FIM, NÃO DESISTA

NO MEIO DO CAMINHO,

DIGA: EU VOU VENCER!



Se estiveres triste, chore! Alivia a alma!

Jamais deixe que a tristeza

tome conta de você! Jesus fala:


“ALEGRA-TE! TENDE BOM ÂNIMO

QUE EU SOU CONTIGO!”



Busque a Deus de todo o seu coração!

Lembre-se que buscar a Deus tem que ser uma busca

constante, diária. Deus tem a solução

para todos os seus problemas!

Para Deus nada é impossível !!!


TENHA UMA VIDA

DE COMUNHÃO COM DEUS!


Tenha amigos,

mas nunca se preocupe com a quantidade,

mas com a qualidade!

Busque amigos

que te acrescentem pessoal e espiritualmente!

Se eles nada te acrescentarem...

AFASTE-SE!!!


AS MÁS COMPANHIAS

CORROMPEM OS BONS COSTUMES!



Tenha sonhos!

É nos seus sonhos que Deus age

e revela o seu infinito poder.


NUNCA DEIXE DE SONHAR!

TENHA OBJETIVOS!



Reme contra a maré!

No decorrer da sua vida,
você encontrará pessoas

que irão te jogar “água fria”!!!
Irão falar que você é incapaz ...
que é impossível!

Dirão que aquilo
que você tanto almeja
não é para você.


NÃO DESISTA!

O DEUS QUE SERVIMOS

É O SENHOR DO UNIVERSO!



Tenha a certeza que dias melhores virão

e tudo tem um propósito na nossa vida!

Nada é por acaso.


ENTREGA O TEU CAMINHO AO SENHOR,

CONFIA NELE E O MAIS ELE FARÁ .

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Quando fracassamos?




Fracassamos,
Quando visualizamos a derrota,
antes da batalha.
Quando abandonamos a luta,
com medo da discórdia.

Quando ouvimos o Não,
antes da pergunta.
Quando silenciamos,
com medo da resposta.

Fracassamos,
Quando o dia amanhece,
na hora que deitamos.
Quando o sono vem,
e não nos entregamos.

Quando o medo de sonhar,
se transforma em pesadelo.
Quando a vida se dilui,
na busca que fazemos.

Fracassamos,
Quando a chave da verdade,
abre as portas da mentira.
Quando lamentamos na chegada,
a hora da partida.

Quando o Amor vai a leilão,
no martelo da cobiça.

Fracassamos,
Quando choramos a morte
diante da vida.

Quando não cremos e não temos um Deus
como Senhor e Salvador...
Aí sim, fracassamos muito mais...



quinta-feira, 16 de abril de 2009

As flores que não plantei




Venho senhor ao teu jardim,

para reaprender a plantar.


Um dia me ensinaste, que todas

as boas sementes germinam

e me deste a terra do meu coração

para um bom plantio,

recomendando-me atenção

para o livre arbítrio.



Mas… não tive generosidade suficiente

para com meu semelhante e hoje, quando

necessito da generosidade de outrem,

dificilmente eu a encontro.


Não tenho colhido a flor da generosidade

porque não a plantei.



Não dei à natureza todo o respeito

que ela como obra sua,

merecia ter recebido de mim.


Fui negligente, senhor.


Senhor disseste-me, que a felicidade

sempre estaria em minha vida se eu me

lembrasse de levar felicidade àqueles

que choravam, e que não tinham um

ombro onde se debruçar.



Não tenho colhido a flor da

Felicidade Plena,

porque não a plantei.


Não levei a sério, quando me revelaste

que o preconceito era uma erva daninha

que, pouco a pouco,

mataria o meu jardim.



Não olhei sem julgamento para

os diferentes de mim,

não observei todos os seres

e tudo o mais que crias- te

sem sentir-me maior

e melhor do que eles.



Não tenho colhido a flor do

Amor Incondicional,

porque não a plantei.



Agora,



venho ao teu

jardim,

buscando ter uma e,

talvez, a última chance de

reencontrar as sementes que

desejaste ver germinadas em

meu coração.


Não sei se vês em minha visita

algum sinal de humildade.


Já muito agi com orgulho

e não tenho colhido a flor da

humildade porque não a plantei.


Aceita, senhor, esta minha vinda,

e dá-me o perdão, o mesmo perdão

que a tantos e tantos eu neguei.


Acolherei a tua decisão, senhor, seja

ela qual for, e se não for aquela que

espero eu entenderei.


Não tenho colhido

a Flor do Perdão,

porque não a plantei…
Silvia Schmidt









quarta-feira, 15 de abril de 2009

Quando é preciso decidir


Estamos envolvidos em constantes e contínuas decisões: desde definir pelo que tomar no café da manhã, que roupa vestir, em que curso ingressar, até decidirmos que carreira seguir, que casa comprar, que estrutura familiar ter...

Sim, sempre estaremos diante de decisões: de maior ou menor importância, mas serão sempre decisões.

O que levar em conta ao tomá-las? Como tomar decisões sábias que promovam resultados positivos? Muitos já decorreram sobre o assunto ao longo dos séculos, mas a síntese é:

Nunca olhe apenas para o resultado imediato. Sempre veja a médio e longo prazo. Isso vale para tudo: até tomar o café da manhã citado acima. Afinal, se você deixar de tomar um bom café da manhã, com os carboidratos, proteínas, fibras e outras vitaminas necessárias, estará prejudicando o teu organismo, uma vez que se é comprovada a importância de tal refeição. Ou ainda, se exagerar nele poderá colher frutos indesejados, seja uma taxa de colesterol elevada, seja um índice de gordura acima do saudável.

Nunca olhe a última foto, olhe o filme. Antes de decidir se vai permanecer, se vai mudar, se deve dar uma nova chance, se precisa esquecer de vez, se deve abraçar uma oportunidade, enfim, nunca se atente aos últimos momentos, nem somente aos bons momentos do presente ou passado. Veja o todo. Seja coerente com as evidências. Coloque os prós e contras no papel com imparcialidade, sem tendências.

Ainda está com dúvida? Busque por sinais, confirmações. Peça sinceramente e com fé para ELE, e certamente DEUS te fornecerá sinais, respostas, indícios. Obviamente, ELE não responderá ou agirá por você, uma vez que ELE respeita o livre-arbítrio, mas certamente te mostrará o caminho. DEUS sempre mostra o caminho reto. Nós que geralmente nos desviamos dele.

Que o MARAVILHOSO CONDUTOR seja contigo e em ti, hoje e em todos os teus dias!


terça-feira, 14 de abril de 2009

Lição de perseverança

(Clique play no final da postagem e ouça lindos cantares de pássaros)

Já observaste a atitude dos pássaros perante as adversidades?
Levam dias e dias fazendo o seu ninho, recolhendo materiais às vezes atravessando de longas distâncias...
... E quando está terminado e estão prontos para pôr os ovos, as inclemências do tempo ou a acção do ser humano ou de algum animal, destrói-o e cai por terra todo o seu esforço e trabalho...
O que faz o pássaro?
Paraliza, abandona a tarefa?
De maneira nenhuma!
Recomença, uma e outra vez, até que no ninho aparecem os primeiros ovos.
Às vezes -muitas vezes- antes do nascimento dos filhotes algum animal, uma criança, uma tempestade, volta a destruir o ninho, mas desta vez com o seu precioso conteúdo...
É duro recomeçar do zero...
Apesar de tudo, o pássaro nunca enmudece nem retrocede; continua a cantar e a construir, construir e cantar...




Já alguma vez sentiste que a tua vida, o teu trabalho, a tua família, os teus amigos não são o que sonhaste?
Já te apeteceu dizer : chega!, não vale a pena o esforço, isto é demasiado para mim?
Estás cansado de recomeçar, do desgaste da luta diária, da confiança atraiçoada, das metas não alcançadas quando estavas quase a conseguí-lo?
Por mais que a vida te magoe,não te entregues nunca, diz uma oração, põe a tua esperança à frente e investe.
Não te preocupes se na batalha sofres alguma ferida, é de esperar que isso aconteça.
Junta os pedaços da tua esperança, monta-a de novo e volta a investir.
Aconteça o que acontecer... não desmaies, segue em frente.
A vida é um desafío constante mas vale a pena aceitá-lo.
E sobretudo... nunca deixes de cantar















segunda-feira, 13 de abril de 2009

Um jeito especial



Há um jeito que é só seu, de semear o bem.
Se tem sabedoria para falar, fale!
Há pessoas precisando de quem lhes rasgue novos horizontes.
Se tem o dom de ouvir, ouça!
Há pessoas precisando falar para reorganizar os pensamentos e sentimentos.
Se tem o dom de enxergar os talentos alheios, enalteça-os!
Há pessoas que desabrocham por conta de alguém que lhes reconheça um dom.
Se tem discernimento o bastante para fazer uma observação construtiva, faça-a!
Há pessoas persistindo no mesmo erro, por falta de alguém que as alerte com carinho e firmeza. Se você não tem vocação para engajar-se em movimentos filantrópicos de grande alcance, tenha em mente que o maior bem a ser semeado começa dentro do seu lar.
Oferte a sua canção, a sua poesia, a sua hospitalidade, aquele prato que ninguém sabe fazer igual.
Oferte a sua diplomacia, a sua liderança ou a sua capacidade de atuar em segundo plano para o bem comum.
Oferte o seu talento para contar piadas e fazer rir. A sua ternura natural no trato com crianças, idosos ou animais.
A sua capacidade de manter o sangue frio nas horas de crise, quando todos em sua volta desabam.
A sua santa paciência de permanecer num hospital ao lado de um enfermo terminal, ou de varar a noite num velório, naquela hora crítica em que todos vão embora.
Há um jeito que é só seu e todo seu, mesmo que seja ofertar uma flor sem ser dia de nada.
Mesmo que seja uma prece sincera feita no silêncio do seu quarto.
Na contabilidade Divina, pouco importa se o seu jeito de semear o bem vai alcançar uma criatura, ou milhões de criaturas.
Você está fazendo a sua parte, de um jeito que é só seu.

É só isto que realmente importa!





domingo, 12 de abril de 2009

A Páscoa





A Pascoa
Quando eu era criança não entendia muito bem a
Páscoa. Só adorava procurar os ovinhos de
chocolate que o coelhinho escondia.

Mas, o que
tem a ver coelho com ovos, seus símbolos, com a
ressurreição de Jesus ou a fuga dos hebreus do
Egito comandada por Moisés?

Agora sei qual a
relação de tudo isto. Os ovos são o símbolo do
nascimento.

Ali dentro, uma vida por vir ao mundo.
É o eterno milagre da vida que renasce todos os
dias. O coelho é o animal que se reproduz com uma
velocidade estonteante, é uma ode à família, uma
declaração de amor que a natureza faz todos dias.

Renascer é nascer, somos nós mesmos que
renascemos nos nossos filhos, é a vida que se
pereniza na prole. A fuga dos hebreus é o fim da
escravidão de uma povo. A escravidão equivale à
morte, escravizar equivale a tirar a vontade e a
alma de alguém, equivale a tirar sua vida.

Se libertar da escravidão é viver de novo, é
renascer, é estar sempre começando tudo de novo.
Por fim, Jesus é a ressurreição. Quer prova mais
clara do que digo? Este eterno milagre que nos
encanta é o milagre da vida que a Páscoa nos
relembra.

A Páscoa é a ressurreição das nossas
almas. Este é o dia de renascer, começar tudo de
novo. De nos libertamos do mal que corrompeu
nossas almas e nos recobrirmos com o véu da pureza
da alma que tivemos um dia.

Abandonar tudo o que é
velho e antigo e olhar pra frente com coragem. Nos
dedicarmos à vida como quem sorve o sumo de um fruto
saboroso. Hoje é dia de renascer.

Feliz Páscoa para todos.



sábado, 11 de abril de 2009

Sábado de Aleluia



Pela paz, que existe em nossa casa
Aleluia, aleluia
Pela luz, que vence a noite escura
Aleluia, aleluia

Pelos amigos que temos
e que acompanham nossos passos

Aleluia, aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia, aleluia

Pelo sol que nasce a cada dia
Aleluia, aleluia
Pela flor, que enfeita o nosso caminho
Aleluia, aleluia

Pelo ensinamento que nos foi deixado:
Amai-vos uns aos outros como eu vos amei
Façamos...
Com todo amor que há em nós

Aleluia, aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia, aleluia
Aleluia, aleluia, aleluia




ALELUIA, SEMEANDO ESPERANÇA!

É TEMPO DE MUDAR, ALELUIA!

O SÁBADO É DE ALELUIA!



sexta-feira, 10 de abril de 2009

Perdão







Pai, Perdoai-os... Eles Não Sabem O Que Fazem...


Reflexão e ensinamento para tirarmos de nossos corações
a mágoa e PERDOAR.
Seriamos nós, capazes de oferecer
um filho nosso, para salvar o mundo??
Não... com certeza, não...
E muito menos vê-lo sofrer
nas mãos de seres tão desprovidos
de sentimentos, de bondade, compreensão e Amor...

E...
Após 2000 anos, nós, habitantes
desse planeta Divinamente criado,
para nos oferecer alimento, água, saúde, e vida,
ainda não entendemos nada...

Não aprendemos a amar e respeitar
nosso semelhante, nosso irmão, nossos pais...
Não aprendemos a doar, sem esperar retorno...
Não aprendemos a dividir para não faltar a ninguém...
Não aprendemos a cuidar da Mãe terra com o devido carinho
Para deixarmos bons frutos à serem colhidos, pelos que ainda virão...

Óh Pai, perdoai-os... eles não sabem o que fazem...
Disse Jesus, nos ultimos e agonizantes momentos de sua
vida, dedicada a nos ensinar o Amor...
E o Pai na sua infinita bondade, nos perdoa a cada dia
até hoje...

Mas, até quando?
Quanto tempo ainda levaremos para aprender
os ensinamentos deixados por Jesus?
Nos lembramos hoje, onde marcamos no calendário,
esse dia triste da Crucificação...
Lembramos com alegria o dia da Ressurreição... nos alegramos
Mas... logo após esquecemos tudo novamente, e...
aguardamos mais um Ano se passar para lembrarmos que o
maior ensinamento que deveriamos guardar na mente, na alma, e no coração é o:
- "Amar o Próximo como a ti mesmo!!!"
E, se a humanidade praticar esse Amor...
com certeza, não só hoje, mas em todos os dias do Ano
vivenciaremos a verdadeira Pascoa!

PÁSCOA
Fraternidade, Solidariedade, Família, Amor!


quinta-feira, 9 de abril de 2009

Pedaços de Amizade




Em cada gesto de impaciência,

dou uma bofetada invisível

nos que convivem comigo.


Em cada perdão que eu negue,

vai um pedaço do meu egoísmo.


Em cada ressentimento,

revelo meu amor-próprio ferido.


Em cada palavra áspera que digo,

perdi alguns pontos no céu.


Em cada omissão que pratico,

rasgo uma folha do Evangelho.


Em cada esmola que eu nego,

um pobre se afasta mais triste.



Em cada oração

que não faço,

eu peco.


Em cada juízo maldoso,

meu lado mesquinho se aflora.


Em cada fofoca que faço,

peco contra o silêncio.


Em cada pranto que enxugo,

torno alguém mais feliz!


Em cada ato de fé,

eu canto um hino à vida.


Em cada sorriso que espalho,

planto alguma esperança.


Em cada espinho, que finco,

machuco algum coração.


Em cada espinho que arranco,

alguém beijará minha mão.


Em cada rosa que oferto,

os anjos dizem: Amém!


Somos todos anjos

com uma asa só.


E só podemos voar

quando abraçados

uns aos outros.



Pe. Roque Schneider



quarta-feira, 8 de abril de 2009

Traição




Hoje é quarta feira Santa, o dia em que dentro da semana Santa, relembramos a traição de Judas... quarta feira das trevas...

Na Santa Ceia, Nosso Senhor anuncia a traição.
São João pergunta:
Quem é?
Jesus responde:
É aquele a quem eu der o bocado que vou molhar.
E, molhando o bocado, tomou-o e deu-o a Judas Iscariotes.

Como são admiráveis as disposições do Senhor! Aquele pedaço de pão oferecido a um comensal era tão comum nos banquetes, que não podia chamar a atenção; pelo contrário, era uma manifestação de afeto para com um amigo. Cristo não atraiçoa nem mesmo aquele que o atraiçoa. Não lança contra ele nenhuma imprecação, como as que tinha proferido dois dias antes no Templo contra os seus inimigos, nem o entrega ao furor dos outros Apóstolos, seus companheiros.

A insolência de Judas [vai ao ponto de perguntar] Porventura sou eu, Rabi? (Mt 26, 25). Cristo olhou-o como só Deus pode olhar, e respondeu-lhe serenamente: Tu o disseste.



Traições são comuns em todos os tempos.
Uma pena.
De Caim e Abel as combinações mirabolantes das eleições atuais, onde promessas e mais promessas são feitas a custa de trocas de favores, cargos e muito dinheiro, as traições na calada da noite ou no claro dos dias, são mais comuns que andar para frente.
Se todos traem então deve haver consenso.
Não há.
E nem poderia.
Quem traí não gosta de ser traído.
Mas quem é traído fica acometido de uma dor por baixo do estômago, no lado esquerdo do peito, na palma da mão.
Não há nada pior que ser traído e não importa por quem, nem o motivo, nem muito menos porque razão.
É triste e penoso.
As vantagens momentaneamente adquiridas pelo ato covarde e vil se tornam, mais cedo ou mais tarde, motivo de frustração e necessidade de novas artimanhas de forma a manter a situação perene.
Quem traí uma vez, trairá sempre e cada vez mais.
É fato.
A história confirma isto, basta relembrar:
Judas, Dalila, Joaquim Silvério e tantas outras...
Traição é traição, não importa se a preço de ouro, trocando bananas ou no caso fortuito, coisas de amantes e desejo desenfreado.
Nada se compara, porém as de família.
A falta de apoio ou as conversas miúdas e quase silenciosas entre membros a desaprovar a conduta de outro.
A mãe que se omite ou fala demais, a irmã que faz campanha contra ou o irmão distante e frio que encobre maquinações quase lúdicas.
Estas matam.
Exterminam o que de bom temos em nossos corações.
Pequenas e enormes traições de gente conhecida e desconhecida e invejosa que planeja nossas quedas como inimigos invisíveis.
O sorriso amarelo a esconder as verdadeiras intenções.
Os falsos amigos.. ah... destes ninguém se livra...
Os antigos e ainda mais falsos conhecidos.
Os parentes despeitados.
O ex-conjuge rancoroso.
A sogra venenosa e maliciosa.
A empregada desgovernada e irritante.
O torcedor do time adversário.
O padre ou pastor na ânsia de arrebanhar novos discípulos.
O gerente de banco interesseiro.
A professora que almeja a supervisão pedagógica.
O porteiro fanfarrão e fofoqueiro.
A vizinha feia e mal amada.
O caseiro que quer aumento de salário.
Traições e traidores.
Todos nós temos alguém ou algo com isto.
Na dúvida, não dispense o galho de arruda, reze e peça luz.
Olhe sempre para trás.
Para frente.
Boa sorte, todos nós iremos precisar um dia...

Que Deus nos ajude a entender e aceitar.





terça-feira, 7 de abril de 2009

Conduzindo sabiamente as diferenças


Contendas, brigas, discussões.
É comum, de forma direta ou indireta, sermos afetados ou estarmos envolvidos nelas. Todavia, também é comum, darmos a elas, atenção ou dimensões maiores do que realmente necessitam.
Se necessitam.
Obviamente, visões e opiniões diferentes, além de demais diferenças, podem originá-las, o que é até algo natural.
O problema está na condução e nos resultados obtidos.
Quando levados a um objetivo comum, visando interesses mútuos ou coletivos, onde se objetiva o crescimento, o melhoramento ou a evolução, podem ser muito produtivos. Se agirmos com sabedoria.
As discussões podem surgir em função de um relacionamento que precisa ser ajustado, de um projeto na empresa, de um planejamento familiar, de uma polêmica envolvendo um assunto comum, de pontos de vistas diferentes e outros tantos motivos. No entanto, quando somos levados por um sentimento egoísta, querendo simplesmente levar a vantagem e impor nossa razão, a discussão pode trazer resultados catastróficos.
Além do mais, é necessária extrema sabedoria para saber quando entrar, continuar ou sair de uma discussão.
Porém, uma coisa é certa: se a discussão está sendo conduzida a extremos, onde há alteração de voz e comportamento, ironias, sarcasmos e coisas a fim, é tolice continuarmos. Já dizia um provérbio do Rei Salomão:
"Uma palavra branda faz recuar o furor".
Não adianta querer competir em quem fala mais alto, pois a próxima etapa será "quem ofende mais" o outro.
Mantenha a serenidade.
Respire fundo.
Conte até dez.
Volte ao assunto, mas quando o ambiente estiver propício para isso.
Torne tuas discussões construtivas. Esteja receptivo a críticas.
Seja flexível.
Mostre-se sensato.
Mantenha o foco na melhoria comum e contínua.
Exercite isso.


segunda-feira, 6 de abril de 2009

O doce aroma do café


Ela não sabia mais o que fazer e queria desistir.

Estava cansada de lutar e combater, sem nenhum resultado.

Parecía que assim que um problema estava resolvido um outro aparecia.

Seu Pai, um “chef” de cozinha, levou-a ao seu local de trabalho.

Ali encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto.

Em uma ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e na última colocou pó de café.

Deixou que tudo fervesse sem dizer uma palavra, só olhava e sorria para sua filha enquanto esperava.

A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que êle estaria fazendo.

Cerca de vinte minutos depois, ele apagou a boca do fogão.

Retirou os ovos e os colocou em um recipiente, pegou as cenouras e as colocou em um prato e finalmente pegou o café com uma concha e o colocou em uma tijelinha.

Virando-se para sua filha, perguntou:

Querida, o quê vê? “Ovos, cenouras e café” Foi a sua resposta.

Ele a trouxe para mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras.

Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias.

Ele, então, pediu-lhe que pegasse um ovo e o quebrasse.

Ela obedeceu e depois de retirar a casca verificou que o ovo endurecera com a fervura. Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole do café.

Ela sorriu ao provar seu aroma delicioso.

Surpreendida e intrigada a filha perguntou: O que isto significa, pai?

Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade: Água fervendo.

Só que haviam reagidos de maneira diferente.

A cenoura entrara na água, forte, firme e inflexivel.

Mas depois de ter sido submetida à água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil.

Os ovos haviam entrado na água, frágeis. Sua casca fina havia protegido seu líquido interior. Mas depois de terem sido fervidos na água, seu interior se tornou mais endurecido.

O pó de café, contudo, era incomparável. Depois que fora colocado na água fervendo, ele havia mudado a água.

Qual dos três elementos é você? Quando a adversidade bate a sua porta, como você respondes? Ele perguntou a sua filha.

Você é do tipo cenoura, ovo ou pó de café? Qual dos três elementos é você? Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor e a adversidade você murcha e se torna frágil e perde sua força? Será que você é como um ovo, que começa com um coração maleável, com um espírito fluido, mas depois de alguma morte, uma separação, uma doença ou uma demissão, voce se torna mais difícil, duro e inflexivel? Sua casca parece a mesma, mas você está mais amargo e obstinado, com o coração e o espírito inflexiveis? Ou será que você é como o pó de café? O Café muda a água fervente, o elemento que lhe causa a dor, quando a água chega ao ponto máximo de sua fervura, ele consegue o máximo de seu sabor e aroma. Que Deus o faça como o pó de café, que quando as coisas ficam ruins, você possa reagir de forma positiva, se tornando melhor sem se deixar vencer pelas circunstancias, e fazendo com que as coisas em torno de você também se tornem melhores!

Que diante da adversidade da vida exista sempre uma luz que ilumine teu caminho e a todas as pessoas que te rodeia. Para que possas sempre espalhar e irradiar com tua força, otimismo e alegria o “Doce aroma do café” Para que nunca perca esse cheiro agradável e inigualável que só você sabe transmitir as outras pessoas. E transformar a adversidade em algo melhor, amparado por Deus. Somos nós os responsáveis pelas próprias decisões.

Cabe a nós, somente a nós, decidir se a crise irá ou não afetar nosso rendimento profissional, nossos relacionamentos pessoais, nossa vida. Ao ouvir outras pessoas reclamando da situação, ofereça uma palavra positiva.

Mas você precisa acreditar nisso. Confiar que você tem capacidade suficiente para superar este desafio. Espero que, nestas semanas que se seguem, quando lhe convidarem para tomar um café, você possa repassar essa história.

Uma vida não tem importância se não for capaz de imputar positivamente a outras vidas. O que você é: cenoura, ovo ou café?

Vamos procurar ser CAFÉ, usando as adversidades para modificar o sabor da vida,com um aroma sempre especial !!!










domingo, 5 de abril de 2009

Verdades





As maiores verdades são sentidas e dificilmente explicadas. Igualmente, dificilmente entendidas se as analisarmos exclusivamente pela nossa verdade de princípios, os quais são, invariavelmente, materiais. Precisamos despertar para aceitarmos e entendermos que somos espíritos com experiência humana. Está é a primeira grande verdade.
A segunda grande verdade é que o que mais tem valor não se toca, se sente...
Qual a cor da felicidade? Qual a forma da saudade? Você já tocou a alegria?
Quanto mais nos apegamos à matéria, mais nos distanciamos de nossas verdades interiores. Do Deus que habita em nosso ser.
Da alma que deixou de ser espírito. Tudo nela não tem forma, mas faz sentido. Tudo absolutamente ausente de forma, mas rico de conteúdo.
É enganoso acharmos que os sentimentos que são a essência de nossa vida, devem ser compartilhados com a posse por quem os nutrimos.
Não existe posse no amor, não existe registro na felicidade, nem propriedade na alegria. Devemos simplesmente dá-los, doá-los e nunca fazê-lo por interesse ou necessidade de retorno. Os melhores sentimentos de uma vida o dinheiro não consegue comprar. Logo vem o arrependimento e a ilusão torna-se realidade.
Quanto vale o sorriso de uma criança? Qual o preço de um carinho e qual o montante que se pode pagar pela felicidade? Está é a terceira grande verdade.
A quarta, aprendi recentemente e quero dividi-la com vocês. Perguntei ao meu mestre sobre novidades em forma e espírito que eu gostaria de conhecer em meu aprendizado... Ele disse-me:
"Saul, meu caro, só saber não resolve nada. É preciso praticar. Você mesmo diz que existem pessoas que se aplicassem corretamente 10% do que sabem seriam milionários... Não é verdade? Saber é importante, mas o fundamental é aplicar corretamente o que se sabe. Está é a grande verdade. Não precisamos muito para sermos felizes. Se a humanidade aplicasse só isso: Não faça aos outros o que não quer para si... já teríamos um mundo melhor. Primeiro, aplicar o que sabemos, depois conto mais... Não adianta saber, tem que praticar".
Na realidade, não se trata de primeira, segunda ou quarta verdade e assim por diante. São as minhas e não as coloco em seqüência cronológica.




True color - Cores Reais - Phil Collins

sábado, 4 de abril de 2009

Dilema da vida





A história é muito antiga mas não menos curiosa.


Algumas tribos africanas utilizam um engenhoso método para capturar macacos.


Como estes são muito espertos e vivem saltando nos galhos mais altos das árvores, os nativos desenvolveram o seguinte sistema: pegam uma cabaça de boca estreita e colocam dentro dela uma banana.


Em seguida, amarram-na ao tronco de uma árvore freqüentada por macacos, afastam-se e esperam.
Após isso, um macaco curioso desce, olha dentro da cabaça e vê a banana.


Enfia sua mão e apanha a fruta, mas como a boca do recipiente é muito estreita, ele não consegue retirar a banana.


Surge um dilema: se largar a banana, sua mão sai e ele pode ir embora livremente, caso contrário continua preso na armadilha.


Após um tempo, os nativos voltam e tranqüilamente capturam os macacos que teimosamente se recusam a largar as bananas.


O final é meio trágico, pois os macacos são capturados para servirem de alimento.
Você deve estar achando inacreditável o grau de estupidez dos macacos.


Afinal, basta largar a banana e ficar livre do destino de ir para a panela.


Fácil demais.


O problema deve estar na importância exagerada que o macaco atribui à banana.


Ela já está ali, na sua mão.


Parece ser uma insanidade largá-la.
Essa história é engraçada porque muitas vezes fazemos exatamente como os macacos.


Você nunca conheceu alguém que está totalmente insatisfeito com o emprego, mas insiste em permanecer mesmo sabendo que está cultivando um infarto?


Ou casais com relacionamentos completamente deteriorados que permanecem sofrendo, traindo e sendo traídos?


Ou pessoas infelizes por causa de decisões antigas, adiando um novo caminho que poderia trazer de volta a alegria de viver?


Somos ou não somos os macacos?


A vida é preciosa demais para trocarmos por uma banana que, apesar de estar na nossa mão, pode levar-nos direto à panela.


sexta-feira, 3 de abril de 2009

O poder terapêutico do desabafo


Vou lhe falar dos benefícios que conquisto quando tenho a felicidade de encontrar alguém capaz de me ouvir e de me compreender.
Há certos momentos em nossas vidas em que sentimos uma extrema angústia mental. Sentimo-nos desolados, depressivos, mal amados. Sentimos um profundo desejo de encontrar alguém que seja capaz de nos ouvir e de nos ajudar a sair dessa apatia; que seja capaz de nos ouvir e de remover essa espessa nuvem negra que nos encobre; que seja capaz de restaurar a nossa alegria, a nossa esperança e a nossa coragem de viver.
Muitos casos de depressão tem a sua origem no silêncio, quando não podemos ou não conseguimos manifestar o que pensamos, o que sentimos, o que precisamos. Na depressão somos invadidos pela indiferença e pelo tédio. Tudo parece perder a cor, o brilho, o sentido. A depressão é um mal que pode atingir qualquer pessoa que não costuma ser honesta com seus sentimentos e com as suas emoções. Atinge pessoas que não têm a permissão de viverem a sua própria vida, de serem autônomas, naturais, autênticas consigo mesmas e com os outros. Por isso, por amor à vida, ao bem estar e à felicidade, você precisa aprender a expressar, com palavras, o que se passa com você.
Quando eu me sinto oprimido pelos acontecimentos, quando preciso falar e não tenho ninguém para me ouvir, costumo ir a um bosque, a um jardim, a uma montanha para desabafar abertamente à natureza. Falo para as plantas, falo para as árvores, falo para Deus. Falo e choro, se sentir vontade. Aprendi com a meditação, a limpar a minha alma e a desabafar tudo que oprime o meu coração. E me sinto bem melhor depois.
Aprendi com a meditação, a não permitir que nenhum sentimento negativo, destrutivo ou doente venha envenenar a minha vida, venha criar obstáculos para mim e até mesmo degenerar a minha saúde. Aprendi com a meditação, a cuidar melhor de mim e quero dividir, agora, esse aprendizado com você.
Quando encontramos alguém capaz de nos ouvir podemos abandonar a fachada atrás da qual nos escondemos e pôr de lado os nossos comportamentos de defesa, para mostrarmos, de uma maneira mais aberta e natural, o que realmente somos. Adotamos uma atitude menos defensiva, menos agressiva. Somos capazes de ouvir a nós mesmos e de nos aceitar com mais facilidade. Quando encontro alguém que me ouve e aceita os meus sentimentos torno-me capaz de perceber os sentimentos que sempre neguei e sempre reprimi.
Torno-me capaz de perceber os sentimentos que me pareciam tão terríveis, desordenados, anormais, ou mesmo, tão vergonhosos que nunca fui capaz de admiti-los e reconhecê-los como meus. Conquisto o meu valor, a minha autonomia e desenvolvo uma atitude muito positiva em relação a mim mesmo.
Quando posso manifestar, com honestidade, sem medo de repressão, o que se passa comigo, há uma redução da minha tensão em todas as suas formas: tensão fisiológica, mal estar psicológico e ansiedade. Sou capaz de entrar em contato com outras pessoas de uma forma mais realista e aceitá-las perfeitamente, na mesma proporção com que fui aceito, ouvido e amado.
Quanto mais consigo falar e expressar os meus sentimentos para alguém, tanto mais me afasto da minha fachada mentirosa, do meu comportamento insensível, impessoal, irreal e inflexível.
Quando alguém me ouve e me aceita como sou, torno-me capaz de ouvir também os outros e aceitá-los como são.
Por isso, você precisa e deve falar, sem medos nem defesas, quando sentir que tudo parece querer perder a cor, o brilho, o sentido. Precisa e deve falar com alguém para aliviar essa tensão que parece querer explodir dentro do seu peito.


Antônio de Camargo Neto


quinta-feira, 2 de abril de 2009

A mágoa



Você é do tipo que se magoa facilmente?
Pois saiba que a mágoa é um sentimento que se origina do amor-próprio.
Normalmente nos magoamos quando alguém é desleal conosco ou quando alguém age de forma contrária àquilo que desejaríamos.
Há pessoas que se magoam pelas coisas mais insignificantes, - que para elas se tornam super importantes - como quando um amigo esquece de lhe telefonar no dia do seu aniversário ou quando não são convidadas para determinado 'programa' com os colegas de trabalho ou, até mesmo, quando algum conhecido passa por elas pela rua e não as cumprimenta.
O melindroso sempre encontra justificativas para se magoar. Ele está invariavelmente certo e os demais, segundo seu conceito, injustificávelmente mal intencionados.
Esse é um comportamento que torna muito difícil o convívio.
Quem é que se sente à vontade com alguém que pode se resentir ante a mais sutil contrariedade?
Essa é uma das desvantagens de quem é muito suscetível.
Mas não é a única!
A mágoa é como um ácido que coroe o frasco que o contém!
Gera estado patológico de humor, pois o melindrado sente uma necessidade enorme de demonstrar o seu descontentamento.
Por isso, às vezes uma pessoa está bem humorada mas quando se aproxima de quem a magoou, muda radicalmente de conduta, para deixar bem claro de que está ressentida.
Tais condicionamentos doentios, desequilibram as emoções e produzem efeitos inclusive sobre o organismo físico estimulando o aparecimento de disfunções nervosas, problemas de digestão, dores de cabeça, etc.
Além disso, para quem acredita, espíritos desencarnados em estado de depressão podem vir a se ligar à mente da pessoa, que, não raramente, se compraz na mágoa.
Não se deixe abater pelas decepções da vida.
Magoar-se não vai resolver problema algum; pelo contrário, vai agravá-lo mais ainda.
Não se esconda por detrás dos argumentos de que: "Não tem sangue de barata" ou de que "não é capacho de ninguém".
Coragem e dignidade se mostram com equilíbrio dos sentimentos.
Mas você não precisa fingir que não vê o mal que lhe fazem!
Basta compreender que quem faz o mal o faz para si mesmo.
Ademais, tocar a vida com nobreza e esportividade é uma maneira muito mais inteligente de revelar o seu amor-próprio.
Pense que:
A mágoa injustificada nubla a face da tua alegria.
Agasalhando-a, concedes o tempo precioso à argumentação íntima, desnecessária, que te agasta em combate inútil.






quarta-feira, 1 de abril de 2009

Confiança é o Elo


Confiança é o Elo entre a Sociedade e a Amizade

Ainda que a sinceridade e a confiança estejam relacionadas, são, no entanto, diferentes: a sinceridade consiste em abrir o coração e em mostrarmo-nos tal como somos por amor da verdade.

Odeia o disfarce e quer reparar as suas faltas, mesmo que para isso seja preciso diminui-las pelo valor da confissão.

Quanto à confiança, esta não nos concede o mesmo grau de liberdade, as suas regras são mais rigorosas, requer mais prudência e moderação.

Ora, nem sempre estamos livres para obedecer a estes requisitos.

Não somos só nós, no que a ela diz respeito, que estamos envolvidos, porque os nossos interesses misturam-se quase sempre com os dos outros.

Requer uma enorme justeza para não levar os nossos amigos a entregarem-se, pelo fato de nós nos termos entregado, como para lhes oferecer um presente, com a única intenção de aumentar o preço do que nós damos.

Fica-se sempre satisfeito com o fato de os outros depositarem confiança em nós porque é um tributo que oferecemos ao nosso mérito, é um depósito que fazemos à nossa confiança, são, enfim, fianças que lhes dão algum direito sobre nós, isto é, aceitamos uma certa dependência à qual nos sujeitamos voluntariamente.

Não, não é minha intenção destruir com as minhas palavras a confiança, que é tão importante entre os homens, uma vez que é o elo entre a sociedade e a amizade.

(...) Damos a nossa confiança, a maior parte das vezes, por uma questão de vaidade, porque queremos falar, porque queremos conquistar a confiança dos outros, mas também para podermos trocar segredos.

Há pessoas que terão razão em acreditar em nós e com as quais não teríamos boa razão de corresponder, mas ficamos quites quando guardamos os seus segredos e quando correspondemos com confidências superficiais.

Há outras cuja sinceridade conhecemos, que não têm nada a ver connosco, mas em quem podemos confiar, seja por escolha ou por estima.

A estas pessoas não devemos esconder nada do que nos é íntimo, devendo mostrar-lhes verdadeiramente as nossas boas e mesmo as nossas más qualidades, sem exagerarmos nas primeiras e sem diminuirmos as segundas.