sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Experiências








Primeiro dia

Caminho pela rua.

Há um buraco fundo na calçada.

Eu caio nele.

Fico perdido.

Não consigo sair de lá.

Perco a esperança e todos os estímulos que

me dariam forças para sair daquele buraco.

Mas, não é minha culpa.

Demoro uma eternidade

para encontrar uma saída.




Segundo dia

Caminho pela rua.

Há um buraco fundo na calçada.

Finjo que não o vejo.

Eu caio nele outra vez.

Não é possível que isto

ocorra comigo novamente.

Estou no mesmo lugar de ontem.

Mas, sei que não é minha culpa.

Demoro um tempo incrível para sair de lá.



Terceiro dia

Caminho pela mesma rua.

há um buraco enorme na calçada.

Vejo que ele ainda está no mesmo lugar.

Mesmo assim, caio nele novamente.


Isto já se tornou um hábito.

Fico triste comigo mesmo,

pois as experiências anteriores

pouco adiantaram.

Cometo os mesmos erros.

Meus olhos se abrem.

Sei onde estou.

É minha culpa.

Saio rapidamente do buraco.



Quarto dia

Caminho pela mesma rua.

Há um buraco enorme na calçada.

Contorno o buraco.




Quinto dia

Mudo meu caminho.

Vou por outra rua.



Mauber Giorgetta









Um comentário:

gisela disse...

Belo texto!
Retrata bem o jeito humano de aprender!