quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Espaços vazios


 
 
CRIE UM ESPAÇO VAZIO

Você tem o hábito de juntar objetos e entulhos?
E dentro de você?
Você tem o hábito de guardar mágoas, ressentimentos, raivas e medos? ...


 
 
ISSO É ANTIPROSPERIDADE

É preciso criar um espaço, um vazio, para que as coisas novas cheguem a sua vida.
Este é um princípio naví chamado AWASAR – “espaço vazio para armazenar”. É preciso eliminar o que é inútil em você e na sua vida, para que a prosperidade material e espiritual venha. É a força desse vazio que absorverá e atrairá tudo o que você almeja.

Enquanto você estiver material ou emocionalmente carregado de coisas velhas e inúteis, não haverá espaço aberto para novas oportunidades. Lembre-se tudo o que você necessita para o seu crescimento, evolução e potência, é exatamente o que se encontra presente em sua vida neste exato momento. Muitas vezes aquilo que você considera ser um grande problema, é na verdade a alavanca que lhe impulsionará em direção ao seu aperfeiçoamento. Portanto, pare de lamúrias, pois suas lamúrias só atrairão destruição.

Se você não consegue fazer uso dos recursos que possui neste momento em sua vida é porque não está havendo espaço e portanto precisa esvaziar. Lembre-se, sempre que necessitar que algo entre em sua vida, use o princípio do AWASAR para criar um espaço receptor.

A energia precisa circular. Limpe as gavetas, os armários, o quartinho dos fundos, a garagem. Dê o que você não usa mais. Venda, troque, movimente e não acumule. Dê espaço para o novo. A atitude de guardar um monte de coisas inúteis amarra a sua vida.

Mas não são os objetos guardados que emperram sua vida, mas a atitude espiritual de guardar. Quando se guarda, considera-se a possibilidade da falta, da carência. Acumulamos coisas porque temos medo do futuro. Acumulamos lixo por acreditar que amanhã poderá faltar, e você não terá meios de prover suas necessidades.
E onde há medo, não há sustento, não há prosperidade.

O princípio de ter medo do futuro, pode se manifestar, por exemplo, na conservação de um velho e inútil objeto. Esse princípio, expresso num objeto, denota um comportamento que pode também estar presente em outras áreas da sua vida, gerando obstáculos para a energia circular.

O simples fato de dar para alguém o velho objeto, colocando-o em circulação, cria um espaço vazio para que algo melhor ocupe o espaço deixado.

Mas o que nos impede de receber gerando em nós o apego ao que é velho, é a dificuldade que temos de nos livrar das aglutinações do passado.
 
 



Um comentário:

Sónia DaVeiga disse...

Limpando e destralhando para a energia fluir! :-D

Tudo de bom minha amiga! :-)

Sónia